quarta-feira, 22 de março de 2017

SUSTO EM UMA MISSA NO KUWAIT


Diferentemente da Arábia Saudita, seu vizinho Kuwait é um país que contém uma boa tolerância religiosa. Incrivelmente, cerca de 25% da população do Kuwait são cristãos - número surpreendente para um emirado árabe.

Muitos que vivem neste Estado elogiam a boa segurança, principalmente após o atentado em 2015 na mesquita Al-Sadiq na capital do país. Desde então, atentados terrorista não é mais parte nas rotinas dos kuwaitianos.

Porém, a Catedral da Sagrada Família levou um susto durante sua missa no domingo à noite. Um homem subiu ao altar tentou tomar o microfone do padre, mas os fiéis o pegou, tiraram da igreja e levaram à polícia.

Ao ter interceptado o indivíduo, caiu uma faca de cozinha que estava escondido na sua dishdasha (veste comum no emirados árabes), este é um exemplo de dishdasha:

 (Este é uma foto para ilustrar uma dishdasha, o homem da foto não é o sujeito da ocorrência em questão).

Isso não foi caraterizado como atentado terrorista, nem mesmo caso de intolerância religiosa - apesar do porte de uma faca -, mas de um caso de problema psiquiátrico. O homem não é monitorado como sendo alguém pertencente a grupos terroristas e não têm históricos de crimes; o fato de não ter feito nada com a faca e por ter dito que "queria ver o Papa" naquela igreja nota-se que havia nele algum distúrbio mental.

Enfim, não passou de um susto. 


Fonte: JW

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário