quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

UGANDA: MULHERES ESTUPRADAS E HOMENS ESPANCADOS POR RADICAIS MUÇULMANOS DURANTE O CULTO


Mesmo sendo de uma grande maioria cristã, a igreja de Uganda sofre nas mãos dos extremistas muçulmanos, o maior agravante é o fato de haver muitas conversões ao cristianismo - algo inconcebível e considerado crime no islamismo.

Normalmente os maiores alvos são os pastores ou padres, mas agora o ataque foi em grande escala e mais brutal. Cerca de 90 muçulmanos invadiram a igreja de Katira, prenderam e espancaram todos os homens e estupraram cerca de 15 mulheres; além de sequestrar o pastor e danificar toda a propriedade da igreja.

Uma testemunha ocular que conseguiu fugir disse que os agressores faziam menção ao "pastor que convertia muçulmanos ao cristianismo" deixando claro o motivo do ataque.

O pastor e outros oito cristãos ainda estão desaparecidos. 

A maioria dos casos de perseguição religiosa aos cristãos na África sempre tem esses aspectos: São brutais e massivos. A segurança pública é escassa mesmo nos países africanos mais desenvolvidos, nisto, os crimes são mais bárbaros e saguinolentos; não à toa que a polícia só chegou duas horas ao local do ocorrido. 


Fonte: CP

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário