domingo, 12 de fevereiro de 2017

PAQUISTÃO: PROPRIEDADE DA IGREJA PRESBITERIANA É INVADIDA


É muito comum no Paquistão perseguições religiosas sob outros pretextos, na maioria das vezes são disputas de terra e falsas acusações de blasfêmia ao islã. Já houve muitas mortes, demolições, invasões de terra (todos eles de proprietários cristãos).

O status quo neste país mantêm os cristãos como cidadãos de segunda classe, resquícios da antiga tradição indiana de castas. E com a omissão de algumas autoridades tendenciosas as coisas pioram para as minorias.

Desta vez, o problema acontece num terreno de 1750 metros quadrados doado à Igreja Presbiteriana décadas atrás. Um grupo de pessoas invadiram e começaram a construir sem nenhuma permissão, cinco mulheres e uma criança de 13 anos foram agredidos; a polícia não quis registrar o B.O e o caso chegou ao magistrado.

Os dois lados estão em disputas, com seus argumentos e troca de acusações. Existe a possibilidade de os presbiterianos ganharem a causa, mas o fato da polícia propositadamente não ter registrado a denúncia dificulta a geração de provas oficiais dos pleitos.

O fator agravante é a corrupção, provavelmente essa invasão pode ter sido orquestrada por algum líder muçulmano ativista, o que acontece muito. Nisto pode haver riscos de suborno, ou no mínimo muito, mas muito protesto e pressão na possível decisão prol cristão aí a tensão subirá.

Até o momento, no menor dos males não houve mortes. Os paquistaneses extremistas são um tanto bárbaros quando se trata de problemas interreligiosos, não há distinção entre crianças, mulheres ou idosos.


Fonte: WWM

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário