terça-feira, 27 de setembro de 2016

ARÁBIA SAUDITA DEPORTA 27 CRISTÃOS MARONITAS POR CELEBRAR FERIADO CATÓLICO

                               (A imagem nada te a ver com a notícia, apenas para ilustrar cristãos no Oriente Médio.)

A polícia religiosa do reino da Arábia Saudita invadiu uma casa no bairro de Aziziyah de Al Khafji e prendeu 27 cristãos maronitas por estarem celebrando o feriado católico da Assunção de Maria, entre os presos encontra-se também mulheres e crianças.

Os maronitas são cristãos de origem libanesa, igreja fundado por São Charbel Makhluf, cujo corpo morto intacto é relíquia para os católicos. Estes alegaram às autoridades que não julgavam ser infração suas orações a Maria por estarem dentro de uma residência e pelo fato do Alcorão fazer bons relatos sobre a mãe de Jesus.

Na Arábia Saudita é proibido construir igrejas cristãs, entrar com bíblias ou qualquer outra literatura, expressar fé não-muçulmana em público ou mesmo andar de crucifixo no peito etc. enfim, não pode nada. Dizem que mesmo uma reunião doméstico pode ficar suspeito dependendodo número de pessoas.

Esses cristãos citados já foram deportados, não há instâncias a recorrer, a Sharia é severamente aplicada. Mesmo sendo dentro de uma residência, o fato de ser um reunião com muitas pessoas de diferentes famílias já se caracteriza um fato ao crivo da polícia religiosa ou até mesmo de um mero vizinho muçulmano que se sinta ofendido com tanto cristão junto.

Esse não é o primeiro caso de deportação de pessoas por motivos religiosos, em 2012 foram deportados 35 cristãos etíopes por estarem rezando, neste caso eram 29 mulheres e 6 homens.

                                           (cristãos etíopes a serem deportados em 2012).

O reino saudita está entre os países mais intolerantes do mundo. Não só no âmbito religioso, mas no de gênero, cultural, político etc.


AINA

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário