terça-feira, 19 de julho de 2016

POKEMON GO ENTRA NA GUERRA SANTA


"Allah não criou o homem para que ele pudesse se divertir. O objectivo da criação era para a humanidade a ser posta à prova por dificuldades e oração. Um regime islâmico deve ser sério em todos os campos. Não há piadas no Islã. Não há humor no Islã. Não há diversão em Islam. Não pode haver nenhuma diversão e alegria em tudo o que é grave. "- Ayatollah Khomeini

Na verdade, a modernidade e as muitas maneiras de se entreter é prejudicialíssimo para uma esquema de dominação teo-político como o islamismo. O desvio de atenção das "verdadeiras necessidades" enfraquece qualquer projeto revolucionário.

O perito em estudos islâmicos Abbas Shuman, vice-chefe da instituição islâmica Al-Azhar disse que esses jogos de realidade aumentada fazem as pessoas terem atitudes fora da realidade no cotidiano.
O clérigo demonstra receio em se criar uma geração de lunáticos, que agem como bêbados olhando nos celulares.

Considerando o aspecto essencialmente comportamentalista e histericamente moralista da religião islâmica, é óbvio que esse jogo seria rechaçado pela comunidade islâmica na Europa. O opinador Shuman disse que "esse movimento imensamente popular é proibido pelo islã".




De etapas em etapas a comunidade muçulmana na Europa vão ditando regras. Um protesto aqui, uma polêmica ali e assim vão implantando coerções de várias formas nos países ainda democráticos.

O interessante é a audácia com que os pólos de desenvolvimento da cultura árabe-muçulmana intervém na dinâmica dos países ocidentais - se já não bastasse o medo do terror. Nenhum governo honesto, com pleno desejo de proteger seus cidadãos se curvaria à imposições estrangeiras ou de culturas não nativas.


Fonte: OBSERVATORIO DA JIHAD

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário