sábado, 23 de abril de 2016

A SELVA QUE SALVA HINDUS EXTREMISTAS


Muitos ainda têm aquela ideia da Índia que exportou a filosofia da Nova Era que abalou a mentalidade judaico-cristã no Ocidente nos anos 80 e 90, e que ajudou a elevar o ''espírito'' de tolerância à todas crenças.
Na verdade a Índia já foi mais que isso na época Jalaluddin Muhammad Akbar, imperador Mongol que dominou o Industão que trouxe certa paz entre muçulmanos, sicks e hindus e que tinha tanto apreço pelo conhecimento que trouxe padres jesuítas da Europa para fomentar debates entre todas as religiões.

Todavia, encontramos extremistas em tudo - até no pacífico budismo -, e não tem sido diferente neste país com tanta diversidade. Assim como houve guerras entre muçulmanos e hindus que fizeram nascer o Paquistão e entre o sicks que o qual nasceu o Punjab; nos últimos tempos houve imensa e sistemática perseguição aos cristãos de várias partes do país.

Há partidos políticos extremamente nacionalistas e teocráticas pela religião hindu que fomentam preconceito e convulsão social com os jovens para destruir igrejas, e na medida possível, agressões e espancamentos nos cristãos.

Nisto muitas mortes, linchamentos, depredações de igrejas e problemas com as comunidades cristãs indianas, aos quais se pode encontrar aqui neste blog pelos marcadores.

No distrito de Khandamal, grupos radicais hindus destruíram 300 igrejas, 6.000 casas e deslocou cerca de 50.000 cristãos a selvas e cidades circunvizinhas. Houve muitos assassinatos e estupros de mulheres.

Mesmo com as dificuldades de serem minoria no país, os cristãos conseguiram fazer da floresta sua comunidade de reunião de irmãos e muitos desses hindus, antes extremistas e intolerantes, dizem estar se convertendo a Cristo nesses lugares. Há quem diga que esteja havendo uma grande cruzada de evangelização na selva indiana.

Khandamal já não é mais o mesmo com esse movimento que parece uma coisa sublime. Todavia, é bom ficar atento neste caso porque muitos extremistas são "paus mandado" de líderes políticos a fim de minar qualquer tipo de "resistência" que eles acreditam haver. Uma quantidade enorme de pessoas refugiadas em florestas dá aspectos de guerrilhas o qual pode atrair espiões fingindo conversão.

Outra coisa necessária, é que haja profundidade na ortodoxia bíblica e o rechaço de qualquer sincretismo religioso. É mais que normal ver na Índia pessoas que seguem mais do que uma religião, ou misturar diversos elementos em uma mesma fé. 
Claro que salvação mesmo só Deus sabe se o tal recebeu, mas a probabilidade é enorme que apenas haja nada mais do que troca de religiosidade, e não o "nascer de novo".

No entanto, parece ser um grande alívio para os tão sofridos cristãos de Khandamal essa pacificação. Que isto se espalhe não só para essa tensão interreligiosa, mas para todas as outras partes da Índia.

Fonte: Christians News Headline

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário