domingo, 20 de março de 2016

CLÉRIGO MUÇULMANO: "GAYS DEVEM SER TORTURADOS EM PRAÇA PÚBLICA E LANÇADOS PRÉDIO"


A maneira como o extremismo dessa religião elimina os focos de "malignidade" é como nas épocas antigas; na força, na matança, na agressividade e barbárie. Para eles, os tempos mudam com suas riquezas e tecnologias, mas a mentalidade permanece tão troglodita quanto!

Não existe a pratica da compaixão, compreensão para trazer o tal ''à luz''; o que existe é a repulsa e a aversão desumana daqueles que pensam ser os despenseiros da felicidade pela religião. Esse modelo de ''felicidade" nasceu pela força da espada e com muito genocídio - que continua nos dias de hoje.

O que esse líder islâmico diz explicitamente na TV é o que tem sido praticado pelo Daesh (Estado Islâmico), a tortura em praça pública para "exemplo", execução lançando do prédio para homossexuais e lésbicas. Para o tal, trata-se apenas da aplicação da lei religiosa islâmica.

Se, esse representante da fé e lei islâmica concorda com os atos do ISIS por que o Ocidente, em seu politicamente correto, insiste em dizer que os atos do Estado Islâmico não se tratam do verdadeiro islã? A ponto de chamarem da "religião da paz"? 
É unânime entre os líderes religiosos do islamismo punições para homossexuais; por quê a tanto silêncio desses movimentos de direitos sociais quanto isso?

Se uma determinada religião precisa de eliminação física dos seus possíveis opositores para a manutenção de sua existência ou pureza, então é questionável sua legitimidade. Se o deus em questão necessita de seres humanos para o servirem ou "protegerem" sua religião, o tal é fraco ou inexistente. 





Fonte: SHARIA REVELADA

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário