sábado, 9 de janeiro de 2016

O EVANGELHO DAS COMPLICAÇÕES

                                                         
O Jukinha foi evangelizado por um crente que dizia "Deus quer somente o seu coração" ou, "a salvação é somente pela graça"; e logo recebe o convite pra visitar a igreja do cara que lhe trouxe a mensagem da boa-nova.
Chegando lá, se integra na comunidade começa a difusão dos RIs (regulamentos internos) para o que chamam de "conduta cristã", conduta essa que tem toda a aparência de piedade, mas que na verdade é reflexo de culturas reprimidas e taradas que ainda promove a errada sensação de estar agradando a Deus. Nem ao menos percebeu que a graça que o levou à igreja já não era tão de graça assim.
O Jukinha começa a ir aos estudos da igreja, se forma, começa a pregar e a evangelizar. De boa mente, pensa ser estudos sem tendenciosidades, sem vícios e considera tudo como obra de Deus - não passava de uma cartilha de como formar papagaios. O Jukinha tem o seu coração voltado para "ganhar almas"e "saquear (?) o inferno"... e assim, mais um indivíduo - gente boa -, mas desmiolado que alimenta o grande leviatã abusador da fé que ao invés de devorar corpos devora apenas cérebros.

As coisas referentes a Deus estão sendo observados segundo o patrimônio antropológico do pavor e da superstição - bases das raízes psíquicas de muitos. Isso a tal ponto da mais singela dos mandamentos, a saber, o amor ser dissecado e aplicado segundo as arrogâncias e interesses de cada um.

O que muitos entendem por convertido não passa de catequizado, o que alguns chamam "sentir a presença de Deus" não passa de mero estímulos e entusiasmos, o que chamam de adoração não passa de exercícios mentais para transes.
Estar em comunhão é se instalar no gueto religioso e chamar o restante das pessoas de "mundo", alcançar vidas é se relacionar com pessoas com uma agenda oculta pra angariar fiéis.

A religiosidade tem o dom de perturbar mentes, chatear o encontro humano, complicar o fácil, diluir o essencial, e potencializar coisas sem prioridades. Eis o que chamam de caminho para Deus!

O verdadeiro evangelho não cria divisões em nome de conceitos e doutrinas, não faz nascer neuroses; antes, descomplica a vida e pacifica o ser! 

"Mas o caminho do justo é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." - Provérbios 4:18


EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS


Nenhum comentário:

Postar um comentário