domingo, 23 de agosto de 2015

OSCAR SCHINDLER DE HOJE - EMPRESÁRIO JUDEU RESGATA ESCRAVAS SEXUAIS CRISTÃS E YAZIDIS NO IRAQUE


Homens que, sem nenhuma petição alheia, mas unicamente movido pela solidariedade e compaixão - sem olhar as diferenças étnicas e religiosas - usam de seus bens e mobilidades sociais para resgatar as escravas sexuais do Estado Islâmico. Esse gesto faz lembrar a clássica história do alemão Oscar Shindler que fez de tudo para salvar alguns judeus, até mesmo pagando por eles!

Em uma situação desesperador muitas vezes não dá para pensar. O Ocidente não promove uma ofensiva efetiva contra o jihadistas de modo que seu califado só cresce e mais mulheres e crianças são escravizadas como objetos sexuais e mercadoria de venda. Já que a situação está a níveis catastróficos (e é a vida o bem mais precioso) muitos minimizam o problema "entrando no jogo", aproveitando que eles leiloam mulheres para comprá-las tirando da opressão muçulmana radical.


Um empresário judeu canadense, Steve Maman está em uma missão de resgatar o máximo de escravas sexuais que puder. Não só está pedindo fundos da comunidade judaica do Canadá, mas também realizando campanhas de doações pela internet, o qual já conseguiu mais de 500 mil dólares.

Este grande homem tem 42 anos de idade e pai de seis filhos pertence a comunidade judaica sefardita de Montreal e muitos ao redor mundo estão se unindo nessa causa. Causa essa que pode trazer uma esperança de libertação para as estimadas 2.700 mulheres, jovens e crianças nas mãos do EI; o qual lhe "rendeu" o apelido de Schindler Judeu (em referência ao industrial alemão que salvou aproximadamente 1.200 judeus do holocausto nazista).

Mas também ele tem recebido críticas pelo fato de estar, mesmo com boas intenções, dando fundos para os jihadistas - uma vez que eles precisam de dinheiro. Todavia, muitos ressaltam que o Estado Islâmico sobrevivem das riquezas que roubam nos bancos, nos indústrias petrolíferas locais que foram tomados (além de possíveis patrocinadores secretos), a ponto desses valores da escravidão serem meramente nominais ou para fins do grupo local.

Como foi dito no início do texto, é melhor minimizar o problema! O Estado Islâmico está aí fazendo toda a sorte de atrocidades. Então, se não dá para salva todos, que salve  o que pode ser salvo!

Até o momento 128 cristãs e yazidis foram resgatadas pelo grupo Maman. Ao serem resgatadas elas vão para regiões dos Curdos receberem tratamento médico e cuidados especiais. Elas "valem" entre 1.000 e 3.000 dólares.

"Nós não podemos apenas esperar e confiar nos outros pra agir. Por que não eu?"
"Honestamente, não há outra opção para resgatá-las. Por quanto tempo mais podemos esperar para salvá-las?". Essas são palavras não de um militar ou político, nem de um ativistas de direitos humanos (onde eles estão?) mas de apenas um homem de negócios que se sensibilizou com pessoas sofrendo que ele conhece... mas podem ter certeza; elas serão eternamente gratas a esse judeu, assim como os judeus são gratos a Oscar Shindler! 



Fonte: SU

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

sábado, 22 de agosto de 2015

NEM PACIFISTAS SE SALVAM!


Não interessa se a vítima é pacifista ou moderadamente concordante com suas "verdades", não basta entregar suas terras e suas mulheres, o que interessa o varejão das consciências! A entrega de seus valores e confissões de fé a um projeto explicitamente mundial de poder religioso.

Pouco se vê (ou se é notificado na imprensa, mas existe) ataques diretos ao mundo asiático; mais especificamente ao mundo hindu/budista por parte de extremistas muçulmanos. Pois é! eles existem e suas intenções são os mesmos. Bangkok, que alguns sofreu ataques terroristas está experimentando isso!

Em um mundo que está sendo engolido pelo medo de jihadistas até comunidades de religiões pacifistas se veem forçados são forçados a se proteger!


Fonte: SHARIA UNVEILED

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

sábado, 15 de agosto de 2015

ISLAMOFOBIA: FATO OU FICÇÃO? OU, O VITIMISMO DA SUPREMACIA


"Allah é o nosso objetivo; o Alcorão é a nossa Constituição; o Profeta é o nosso Líder; jihad é a nossa maneira; morrer por amor a Deus é o nosso desejo" . Esse tem sido o grito de guerra entre muitos muçulmanos que chegaram a Europa e creio que seja de qualquer muçulmano moderado. A maneira com que se contempla pode refletir facilmente a fé de cada seguidor de Maomé no planeta (visto que a palavra jihad não necessariamente significa luta armada). Porém ela veio de grupos que julgam o islã como a salvação do mundo e a solução para todos os problemas humanos.

É necessário ter maior sobriedade possível nos assuntos que diz respeito a povos, culturas e religiões - coisas que mexem com os sentimentos na flor da pele de milhões - além da necessidade de se fazer justiça! Entre separar o joio do trigo sem generalizações.

Digo isto por que vejo entre muitas pessoas de bem entre nós que, no afã de alertar seu grupo ou de se proteger de ameaças, fazer das generalizações sua arma de guerra de propaganda. Isso não é interessante! Vejo pessoas colocando em todo o pacote os extremistas muçulmanos com os meros religiosos o que pode causar efeitos sociais danosos haja vista desejarmos ser respeitados e não respeitar aqueles que nada tem a ver com radicalismo.

Porém, existe o "radicalismo da tolerância" onde tratam como coitado grupos que rapidamente ocupam espaços e conquistam privilégios em detrimento das verdadeiras vítimas de intolerância religiosa.

Se fala, se discute e elucubram extravagantemente na islamofobia europeia. Constroem histórias de imperialismos macabros para culpar o ocidente ao mesmo tempo se esquecem dos sanguinários impérios islâmicos que existiu (e das atuais ditaduras muçulmanas no Oriente Médio).

Fazem todo o esforço para garantirem o direito do muçulmano no Ocidente enquanto outras minorias estão sendo escravizadas, torturadas, queimadas vivas e decapitadas entre eles: cristãos, yazidis, e outras etnias. Ora, é fato que grandes investidores muçulmanos estão tomando o velho continente - não é difícil compreender que o universo poderá conspirar a favor de um certa comunidade crescente e expansiva no mundo todo!

E para fazer essas transformações em engenharia social basta, entre outras coisas, trabalhar na linguagem do politicamente correto atual: vitimizar o opressor, culpar e silenciar as vítimas!

Ao mínimo se os grandes líderes repudiassem e punição nos seus costumes pessoas que protestam com esse slogan supremacista:




Um povo que sofre fobias tem posições como essa? de arrogância supremacista de dominação? Pessoas oprimidas desejam conquistar o mundo e implantar seu sistema de governo? Se são considerado extremistas pelos demais por que não são punidos? Ficam as perguntas...



Fonte: G INSTITUTE

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

ESTADO ISLÂMICO SOLTA 22 CRISTÃOS APÓS NEGOCIAÇÃO COM ARCEBISPO


Uma coisa difícil de se ver são bárbaros gastando tempo para pensar, analisar e "dar o braço a torcer" (ainda que depois de muita e intensa negociação).

22 cristãos assírios, 14 mulheres e 8 homens foram soltos pelo Estado Islâmico após negociação com o Arcebispo Assírio. Provavelmente a facilidade para a liberação desses cristãos foi pelo fato de eles serem na sua maioria idosos e com problemas de saúde.

Porém, ainda resta 187 reféns que estão em negociação custando 100.000 dólares por cristão!

Esta é a situação; como o problema é crônico o máximo que se pode fazer é negociar com o inimigo e minimizar o problema comprando vidas com o que pode, já que a disposição do Ocidente em combater esses extremistas é mais na caneta do que nas armas...


Fonte: AINA 

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

ESTADO ISLÂMICO EXECUTA 19 MULHERES POR RECUSAREM SEXO COM JIHADISTAS


Essas são as opções que o califado do Estado Islâmico dá para as mulheres curdas, cristãs outras não muçulmanas: estupro, casamento forçado, escravidão e morte (na realidade uma vida dessa já é pior que a morte).

Segundo os informantes curdos cerca de 19 mulheres foram executados pelos integrantes do Estado Islâmico por se recusarem a ter práticas sexuais; tudo isso se deu na cidade de Mossul nos últimos três dias.

Este é o valor que a mulher tem para essa vertente do islã, ou seja, nada! Considerando o silêncio das organizações ocidentais de direitos femininos não se trata também do mesmo valor dado?


Fonte: PAMELA GELLER

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS