sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

UM ''ESTADO CRISTÃO'' NO CELEIRO DA JIHAD EUROPEIA


A Bélgica, desde o início da "era do terror", sempre foi um abrigo de culturas terroristas. Lá que apareceu a primeira mulher-bomba ocidental, lá é a ponte de muitos terroristas pra atuar na França e outros países.

Quase não se ouve ataques terroristas em grande escala nesse país, mas é de lá que saem os mentores, os aprendizes do terror, a recrutação jihadista (até com brasileiros) e os planos de ação. É na Bélgica onde se encontra o maior número per capita de extremistas religiosos do bloco europeu.

Mesmo sendo o islã apenas quase 5% da população local, já se ouviu que há mais de 1000 jihadistas desde aqueles que vão e retornam da Síria, das crianças sendo catequizadas e de imigrantes. A segurança na Bélgica é um caso sério! 

Porém, parece ser aparentemente razoável o surgimento de forças populares de oposição já que o povo está insatisfeito com o desgoverno nesses casos. É compreensível o entendimento que "situações extremas pedem medidas extremas", mais ainda vendo um ocidente politicamente correto cuja a preocupação está mais em lutar contra a islamofobia enquanto seus cidadãos são massacrados em nome de Alá.

Nisto surge o "Estado Cristão". Até agora indefinível, até agora sem rosto, sem bandeira; apenas com cartas ameaçadoras às algumas mesquitas locais! É nesse ponto que é bom observar.

Segundo as notícias, a carta não ameaça somente os grupos radicais ou as vertentes mais austeras do islamismo, mas todos! Sejam mesquitas, sejam negócios, homens, mulheres, crianças e ainda - segundo o noticiário - intentam abatê-los e crucificaram como o Senhor Jesus! Além do mais, a carta apresenta traços de desequilíbrio mental do autor da carta (se for assim então não há o que se preocupar).

Sendo ou não legítima ameaça, é necessário haver moderação nessas questões. É necessário combater o mal com rigor? sim! mas não em grupelhos histéricos; é necessário controlar fortemente a imigração pra identificação de infiltrações terroristas? sim! Mas também é necessário não colocar inocentes no pacote. Há imigrantes que já moram faz décadas na Bélgica vindo de vários países, e nem todos concordam com o extremismo.

Mesmo sabendo que é em nome de Alá que o ISIS está cometendo genocídio, mas nem todos do Islã são ISIS tanto que eles também executam muçulmanos... Assim com nem todos os cristãos são "Exército do Senhor" do guerrilheiro Kony na Uganda e nem esse suposto "Estado Cristão". Por isso, assim como muitos dizem que o Estado Islâmico não representa o Islã, então que se diga que esse fermento de Estado Cristão não representa o que Jesus ensinou e viveu.

Deus não precisa de Estado, nem resistência que o represente! Um Deus que necessite de proteção pode ser tudo, menos Deus. Também, além da possibilidade de ser desinformação por parte do lobby islâmico (o que não duvido, se espera de tudo), também há possibilidade de ser mera organizações criminosas que se aproveitam do manto religioso para dar aparências de luta social aos seus crimes. Não é assim com os "traficantes evangélicos" que fazem ungir suas armas, que oram o Pai Nosso antes de atirar na polícia e que estão expulsando os espíritas e candomblezeiros dos morros no Rio de Janeiro?

Fonte: RT
Fonte: GL
Fonte: CT


EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário