domingo, 22 de novembro de 2015

TIRANDO O QUIPÁ PRA VIVER EM PAZ NA EUROPA


Já estou bem convencido que o ser humano não aprende com a história, com as catástrofes e com os genocídios. O modus operandi das relações e dos poderes sempre serão os interesses, a força e o domínio; a força motriz sempre será o desejo de sobrevivência de um sobre a morte do outro.

Por mais que se falem em direitos, igualdade, liberdade, democracia sempre haverão seus oponentes. Quanto mais se vomita esses conceitos no mundo, mais eles vão sendo cerceados! A lei natural dessa raça decadente é: Se possibilidade de alguma coisa acontecer ou ser realizada, ela será realizada.

Há décadas atrás os judeus na Europa eram perseguidos e mortos sob o manto do nazismo, hoje, por meio sutil e ardiloso sob a força dominadora do islã político que sem espadas cumpre seus desígnios.

As épocas passam, mas o espírito dos fenômenos ficam: A dificuldade de convivência entre os homens, a pequenez em lidar com as diferenças e as mentiras ideológicas reinando sob as massas incautas e manipuladas.

O antissemitismo se expressa vorazmente em Paris e em vários outros lugares da Europa, isso está fazendo com que aconteça um histórico retorno de inúmeros judeus jamais visto desde a época do imperador persa Ciro... Até porque o mundo está antissemita!

O que se espera do futuro? O triunfo da tolerância? A tão desejada paz mundial? 

O esquema político e social do politicamente correto irá triunfar! Nela o mal absoluto vem sob a capa do bem relativo; um bem que para ser concretizado tem que se fazer muito males.

Não é a toa que grupos como Hezbollah e Farc consegue algum tipo de negociação se tornando "maus menores" enquanto emerge novas bestas como Estado Islâmico e Irã - sob os olhos e câmeras de um mundo complacente, ao mesmo tempo perplexo e anestesiado.  



EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário