domingo, 4 de outubro de 2015

A SHARIA E A PERSEGUIÇÃO ANTICRISTÃ NOS ABRIGOS DE REFUGIADOS


A Alemanha é o país que mais está se disponibilizando a abrir as portas para os refugiados, não é de esperar que junto a essa abertura desse país orgulhosamente multicultural também surja inúmeros problemas de conflitos étnicos e religiosos.

Considerando que a Europa está se islamizando a passos largos, os políticos alemães querem enfiar goela abaixo que "não se deve mexer nos valores multiculturais da Alemanha" e cresce casos de extremismo e perseguição anticristã - dentro do continente ex-cristão que os acolheram!

Está havendo muitos casos de cristãos refugiados sofrendo na mãos dos refugiados da religião islâmica, veja os relatos:


  • "Cristãos, curdos e Yazidis nos abrigos estão sendo atacados por muçulmanos, com aumento da frequência e ferocidade."


  • "Eu fugi do serviço secreto iraniano, porque eu pensei que, na Alemanha eu poderia finalmente viver a minha fé sem perseguição. Mas no abrigo de refugiados, não posso admitir que eu sou um cristão, ou eu teria de enfrentar ameaças ... Eles me tratam como um animal. Eles ameaçam matar-me. " - Um cristão iraniano em um abrigo de refugiados alemão.


  • "Nós temos que dispensar a ilusão de que todos aqueles que estão vindo para cá são ativistas de direitos humanos. ... Estamos recebendo relatos de ameaças de agressão, incluindo as ameaças de decapitação, por sunitas contra xiitas, mas yazidis e os cristãos são os mais impactados. Esses cristãos convertidos que não escondem sua fé está uma probabilidade de 100% de ser atacado e cercado. " - Max Klingberg, diretor da Sociedade Internacional para os Direitos Humanos com sede em Frankfurt.


  • "Estamos observando que os salafistas estão aparecendo nos abrigos disfarçados de voluntários e ajudantes, que procuram deliberadamente contato com refugiados para convidá-los para suas mesquitas para recrutá-los para a sua causa." - Hans-Georg Maaßen, chefe da inteligência alemã.


  • A polícia está chamando urgentemente para os imigrantes de diferentes crenças para ser alojados em instalações separadas. Alguns políticos respondem que essa segregação iria contra valores multiculturais da Alemanha.


  • "No Irã, a Guarda Revolucionária prenderam meu irmão em uma igreja doméstica. Eu fugiu do serviço secreto iraniano, porque eu pensei que, na Alemanha eu poderia finalmente viver a minha fé sem perseguição. Mas no abrigo de refugiados, não posso admitir que eu sou um Christian, ou eu teria de enfrentar ameaças.


  • "Os muçulmanos me acorde antes do raiar do dia durante o Ramadã e dizer que eu deveria comer antes do sol nascer. Quando eu recusar, eles me chamam de kuffar, um descrente. Eles cuspiram em mim. Eles me tratam como um animal. Eles ameaçam matar-me . "


  • "Nós temos que dispensar a ilusão de que todos aqueles que estão vindo para cá são ativistas de direitos humanos. Entre os que estão chegando aqui agora, um número substancial são pelo menos tão religiosamente intensa como a Irmandade Muçulmana.


  • "Estamos recebendo relatos de ameaças de agressão, incluindo ameaças de decapitação, por sunitas contra xiitas, mas Yazidis e cristãos são os mais afetados. Esses cristãos convertidos que não escondem sua fé está uma probabilidade de 100% de ser atacado e cercado."


  • "Temos vindo a assistir a esta violência durante semanas e meses. Grupos com base na etnia, religião ou clã estruturas ir atrás de si com facas e armas caseiras. Quando esses grupos lutam entre si durante a noite, todos os cidadãos alemães que congratulou-se com os migrantes com abertas braços na estação de trem de Munique está dormindo, mas a polícia permanecer acordado e estão de pé esquerdo no meio ...


  • "Nós só podemos estimar a verdadeira extensão da violência, porque as mulheres e as crianças muitas vezes têm medo de fazer uma reclamação. Uma vez que também é sobre abuso sexual e estupro ...


  • "Os sunitas estão lutando xiitas, há salafistas de grupos concorrentes. Eles estão tentando impor as suas regras nos abrigos. Cristãos estão sendo maciçamente oprimidos e os Sharia está sendo aplicada. As mulheres são obrigadas a cobrir-se. Os homens são forçados a orar. Islamitas quer introduzir seus valores e ordem nos abrigos."

Percebe-se que a Sharia já tomada como lei até mesmo nos abrigos de refugiados, até mesmo entre grupos diferentes de muçulmanos: sírios, afegãos, paquistaneses, iraquianos está havendo conflitos e há a necessidade de que haja verdadeira segregação - blasfêmia para os multiculturalistas.

O "continente da tolerância" recebem os intolerantes; nem ao menos há o questionamento do porquê de países árabes (seus irmãos de fé) não abrir as portas para refugiados.



Fonte: GI

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Um comentário: