quinta-feira, 16 de abril de 2015

EM FAVOR DAS ESCRAVAS SEXUAIS DO ESTADO ISLÂMICO


Já em fato bem conhecido do genocídio praticado pelo Estado Islâmico contra o povo Curdo e outras minorias étnicas no Oriente Médio. E como todo povo bárbaro, além de matar escravizam pois eles têm "necessidades" a serem satisfeitas - Se no mundo muçulmano moderado a situação das mulheres já não são aquela coisa imagine no regime promovido por grupo ultra-extremista!

Além deles as usarem como escravas sexuais, também comerciam mulheres a ponto de catalogarem de acordo com faixa etária e etc. Um verdadeiro flagelo para a dignidade da mulher.

No entanto há uma voz que combatente essa atrocidade dos jihadistas na ONU, a parlamentar curda yazidi Vian Dakhil (foto) que discursou no Instituto Internacional da Paz sediada em Nova York nesta terça-feira dia 14/05. 

Segundo Dakhil, o governo iraquiano apesar das boas intenções não está conseguindo executar suas estratégias de combate ao EI tão quanto a libertação das escravas sexuais que incluem mulheres, adolescentes e crianças.

Os Yazidis são um povo com uma religião sincrética entre zoroastrismo, cristianismo e islamismo, por isso o Estado Islâmico consideram eles "adoradores de Satã". Sendo assim, uma escrava sexual desse povo não vale mais que hum maço de cigarro. 

A oradora na ONU disse que cerca de 4.500 mulheres e meninas foram sequestradas e escravizadas; inclusive uma criança de 13 anos foi tão estuprada que sangrou até morrer!

O genocídio é a pauta central do Estado Islâmico! Em todos os aspectos: religioso, cultural, intelectual, étnica e até da valoração das mulheres - isto sim é um verdadeiro feminicídio!


Fonte: AINA

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário