terça-feira, 3 de março de 2015

EX-LÉSBICA ANÔNIMA


"Eu nunca ou me encaixava em qualquer lugar. Eu nunca fui uma atleta, nunca fui uma música, nunca fui muito inteligente e eu nunca fui essas pessoas populares. Eu vim de um lar desfeito, onde meu pai era fisicamente e emocionalmente abusivo. Ele batia na minha mãe e eu, mas raramente meu irmão. Ele traiu minha mãe com as mães dos meus amigos. Quando eles se divorciaram quando eu tinha 12 ou 13 anos. Não havia ninguém em casa, quando cheguei em casa da escola, e eu e o meu irmão brigávamos constantemente. Quando minha mãe chegou em casa, ela principalmente introvertida e nos ignorava e ficava na frente do computador a noite toda. Eu odiava isso.

Esta rotina continuou através do ensino fundamental e ensino médio até que finalmente sai de casa. Eu nunca tive qualquer metas ou aspirações de faculdade. Mesmo que quisesse, não teria dinheiro e nem boas notas. Eu não estava motivado para sair e conseguir um emprego. Eu não tinha rumo na vida, sem motivação e sofrendo com o rótulo de ter depressão crônica, transtorno de personalidade bipolar. Eu vivia a base de coquetéis de medicamentos que constantemente me deixava alucinado e muitas vezes cogitei o suicídio. Me cortava de tanta ira das pessoas. Eu estava com raiva de minha mãe por ter esperado tanto tempo para deixar o meu pai. Vivia irritado com toda a gente na escola que tinha amigos de verdade e hobbies e atividades e pertencia. Eu nunca pertenci a lugar nenhum. Eu estava à procura de mim mesmo e à procura de um lugar ser eu mesmo e ainda de alguma forma conseguem se encaixar.

Durante o ensino médio, eu conheci uma garota que parecia aceitar-me e quer ficar comigo. Um dia depois da escola, nós pegamos o ônibus e fomos o apartamento dela. Quando chegamos lá, eu descobri que era o apartamento dela e que ela não vivia lá com os pais. Pensei "Uau, essa garota é alguém que eu quero ser. Ela tem as coisas dela juntos e ela é apenas uma criança. Poderia aprender muito com ela. " Primeiro dia que foi no apartamento dela que fui com sede ao pote. Adorei imediatamente. Foi também mais tarde naquele dia em que aprendi que meu amigo era bissexual e tinha uma namorada. Os dois pareciam tão amigável e salvo de mim, independentemente de quem eu era. Decidi essa semana que este era o tipo de pessoas que queriam andar juntas, estas eram o tipo de pessoas que eu queria ser. Eu admirava e respeitava-os.

É onde minha história se torna difícil de compartilhar, sinto muita vergonha ainda por esta parte da história da minha vida.

Foi durante este tempo na escola que eu conversei com minha amiga Dolores enquanto sua namorada não estava em casa. Eu disse a ela que eu pensei que talvez eu também era gay, mas não sei como descobrir. Ela insistiu que a única maneira de saber se foi para beijá-la e ver se ele "me excitou". Não sabia o que isso significava na época, mas eu não queria parecer estúpida. Fiquei muito nervosa e com medo, mas nos beijamos na cama dela. Embora o beijo em si foi legal (eu nunca tinha beijado ninguém antes), fiz notar que algo dentro de mim não estava certo.

Ao longo do tempo, eu aprendi a silenciar sobre o sentimento negativo em mim a respeito da minha sexualidade. Dolores tinha me convencido de que eu só estava sentindo dessa forma porque a sociedade ainda não estava habituada a gays. Acho que foi uma boa razão na minha cabeça.

Ao longo dos anos, tive duas namoradas além de Dolores. (Sua namorada não se importava porque eu era "uma lésbica em formação" e logo "dominaria o mundo".)

Isso não aconteceu porque eu fui salvo enquanto vivia em um abrigo, quando eu tinha 19 anos que sai desse estilo de vida. Ainda estou tão envergonhado de mim mesmo, que quase 10 anos depois, nunca havia confessado meus pecados a Deus nem mesmo orava sobre isso pra Ele. Parte de mim não conseguia esquecer o quanto foi difícil deixá-la. Eu vou fazer 29 anos este ano e sou veementemente contra a homossexualidade em qualquer maneira, forma ou formulário. Acredito que 100 por cento das pessoas que quiserem transformar seus pensamentos homossexuais Deus irá ajudá-los, assim como fez por mim.

Comigo aconteceu literalmente essa transformação durante a noite. Eu comecei a olhar para os homens a pensar, "Nossa, ele é muito gato!" em vez de pensar em mulheres. Não posso ser mais feliz do que estou prestes a ser livre disso. Agora estou mais velha e sei que apesar de homens e mulheres são tão incrivelmente diferentes uns dos outros, podem ser inteiramente felizes em relacionamentos. Mulheres com outras mulheres e homens com outros homens, nunca, nunca vai dar certo, independentemente de quanto tempo andarem juntos. 

Não tenho muito mais adicionar a minha história, exceto este. Se você é gay ou está lutando com pensamentos homossexuais, por favor, fale com Deus sobre isso. Prometo que os fará nova outra vez.

Testemunho extraído e traduzido do facebook: TESTEMUNHO

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

EX-LÉSBICA CLEICE BARBOZA

EX-LÉSBICA FABRÍCIA

EX-LÉSBICA KRISTIN TREMBA

EX-GAY CHARLES

EX-HOMOSSEXUAL ROBERT

EX-TRAVESTI DIEGO ABEL

EX-DRAGQUEEN SATÂNICO

EX-TRAVESTI SILAS FURTADO

EX-TRAVESTI MURILO SILVA

EX-DRAGQUEEN RAMON PEDRO

EX-TRAVESTI PEDRO JAIRO

EX-GAYS E A LISTA DOS LIBERTOS

EX-GAY JOSEPH SCIAMBRA

EX-LÉSBICA CLAUDIA GIMENEZ

EX-HOMOSSEXUAL JEFFERSON

EX-GAY : O BLOG

EX-HOMOSSEXUAL TIAGO

EX-HOMOSSEXUAL JONATHAN BARBOSA

EX-GAYS LAVADOS, SANTIFICADOS E JUSTIFICADOS

EX-TRAVESTI VICTOR HUGO

EX- HOMOSSEXUAL ROMÁRIO GARCIA

EX-LÉSBICA ROBIN BECK

EX-LÉSBICA ANÔNIMA

EX-LÉSBICA ANDRESSA CAIO

EX-GAY ALLAN CHAMBERS

EX-TRAVESTI EDINEI

EX-LÉSBICA DAYANE

EX-TRAVESTI LUIZ

EX-LÉSBICA NÁDIA

EX-LÉSBICA CHRISTINE SNEERINGER

EX-LÉSBICA JANET BOYNES

EX-GAY RICHARD COHEN EM ENTREVISTA SOBRE REORIENTAÇÃO SEXUAL

EX-LÉSBICA JACKIE CLUNE

EX-HOMOSSEXUAL, UMA HISTÓRIA DE TRANSFORMAÇÃO – LIVRO DE DIEGO ABEL

EX-HOMOSSEXUAL VALDECI SILVA ALVES

EX-GAY E ATIVISTA ERIC HESS

EX-HOMOSSEXUAL HENRIQUE

EX-HOMOSSEXUAL, EX-ESPÍRITO, EX-SOROPOSITIVO HÉRCULES DANILO PACHECO



Nenhum comentário:

Postar um comentário