segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A AGENDA ISLÂMICA NO BRASIL - A SHARIA TUPINIQUIM


É mais que uma realidade a ocupação muçulmana em todo o globo terrestre, não só pela dispersão de imigrantes mas também por conversões. Até mesmo a cultura tropical, erotizada e nudista do Brasil é capaz de absorver os padrões vindas do Oriente Médio - pode causar choque social - mas é possível!

Mesmo sendo um país em que os estereótipos antecedem os juízos racionais (consideram os preconceitos de associar o islã ao terrorismo) o Brasil têm um chamativo número de conversões em certas classes: A cada 10 conversões realizadas no Brasil 7 são mulheres, quase 95% usam véu e 50% delas são divorciadas (antes da conversão).

Estima-se que hoje há 1,2 milhões de muçulmanos no Brasil de várias correntes e que maioria contribuem 2,5% de sua renda para instituições islâmicas.

Com absoluta certeza, assim como em todos os lugares do mundo, seus líderes repudiam os atos de terrorismo - principalmente nesses tempos de Estado Islâmico - os representantes da religião fazem de tudo para conscientizar as massas de quem não tem nada ver com eles.

Mesmo assim, ocupação de fiéis é o mesmo em todos os cantos do mundo. Crescimento nos guetos, aumento de mesquitas, criação de movimento sociais até o número estar suficiente para a reivindicação de direitos. Isso já aconteceu em alguns lugares como São Paulo em protestos e no vídeo ao fim do texto, onde muçulmanas ficam constrangida ao tirar o véu para tirar carta de motorista e reivindicação a exceção pra elas - no Brasil!


                                   Yussuf, o primeiro muçulmano brasileiro a presidir o centro islâmico da Bahia

Hoje, talvez com o pretexto da necessidade de estar se explicando a sociedade brasileira sobre as barbaridades do terror islâmico no mundo, já cresce a ideia do surgimento de TV e revistas voltado ao islamismo por aqui. O apoio incondicional, por demais até descabida vinda de classes sociais rechaçadas no Islã (como o deputado gayzista Jean Wyllys) chegam a chamar atenção pela incoerência não só por ser aqui um país majoritariamente cristão, mas por serem os gays executado a morte em alguns países muçulmanos e a conduta condenada por todas.

Seria curioso observar como serão as atuações dos movimentos sociais de gênero (cujo os valores morais vão contra a fé maometana) em detrimento do crescimento islâmico no Brasil. O que seria da marcha das vadias disputando direitos com o MMB (movimento das muçulmanas brasileiras [invenção minha]), do movimento LGBTT contra a confraria xiita iraniana brasileira, debates contra os ateístas nas universidades... imagine o choque cultural, social e político na maior esponja cultural do mundo! Onde tudo o que se planta, dá!

Pra quem não sabe, o islã está em alta há muito tempo em periferias . Se apresentam como um alento existencial diante do que chamam "exclusão da sociedade" (ou seja, o islã se apresentando como ideologia).

É justamente isso que é necessário para o crescimento de qualquer espécie de movimento, mesmo com o manto da fé: Surgir nas classes baixas, ganhar simpatia popular; depois vir do lado de cima com representantes estrangeiros e da classe econômica até dar "legitimidade" para a criação de um partido político que o represente. É uma dominação pacífica a longo prazo que foge da percepção e compreensão entre o que é revolução orquestrada ou fenômeno natural.


Isso não é pra fomentar preconceitos ou estereotipar a imagem dos muçulmanos no Brasil; todos têm direito de ter fé no que e em quem quiser (até em mentiras mirabolantes). Mas também é necessário haver uma ferrenha e veemente oposição e repúdio do islã contra o terror - são deles que tem vir o combate frenético contra o fanatismo! Não apenas declarações e notas quase acanhadas! Infelizmente o que vemos são leis ocidentais se adequando com o contingente muçulmano local enquanto nos países islâmicos não se adequam aos ocidentais que moram lá.

Ora, se compreendermos pelas comparações de regalias, direitos e liberdades nos dois hemisférios, vemos o mundo abraçando alegremente um califado universal! É a sharia como potência global!





Fonte: RC
Fonte: IE

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

2 comentários:

  1. Olá - vim retribuir a sua visita e também estou te seguindo.
    O seu blog é muito esclarecedor - gostei muit!

    bjs
    WWW.PAINELPARACONGRESSO.COM

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante seu blog.
    Ja seguindo o aguardo la no Espelhando.
    Linda nova semana.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir