domingo, 11 de janeiro de 2015

RELEMBRANDO MARTÍRIOS: 2000 CRISTÃOS DE ESMIRNA LANÇADOS DO PRECIPÍCIO


A igreja de Esmirna foi uma das sete na Ásia Menor citado por João em Apocalipse, ela se situa na atual Túrquia e foi uma das igrejas que só receberam elogios do nosso Senhor Jesus. Foi o bispo de Esmirna, Policarpo discípulo de João que recebeu o martírio após seu célebre testemunho nessas palavras "Oitenta e seis anos sirvo eu sirvo a Cristo e ele nunca me fez mal, só o bem. Como então posso eu maldizer o meu Rei e Salvador?".

Essa igreja sofredora passou por várias espécies de perseguições; sofreram até difamações como canibalismo pelo simples fato da cerimônia da Ceia (corpo e sangue de Cristo) e revolucionários (por não considerar César o Senhor)... a situação da igreja de Esmirna era horrível.

Além de muitos outros martírios e variadas formas de execução, houve o caso de muitos cristãos anônimos, mas conhecidos no Livro da Vida que receberam a coroa do martírio aos serem lançados do alto do Monte Pagos. Foram 1.200 num certo momento, depois mais 800!

Realmente a quantidade de pessoas sendo executadas era assustador. Toda a comunidade cristã no território do Império Romano estava sendo perturbada e martirizada por vários motivos, entre outros, não prestar cultos ao imperador.

A igreja de Esmirna era pobre, sofredora e fiel. Na carta, prestes a receber uma "tribulação de dez dias" e muitos morreriam - o próprio Jesus anunciou os martírios. Esmirna era a cidade mais fiel ao Império Romano, e Jesus aproveita o contexto e evoca a fidelidade dessa igreja pobre e deixa este lembrete "Sê fiel até a morte" e nada mais apropriado de receberem a "coroa da vida".

Para o mundo os cristãos de Esmirna eram candidatos à morte, mas para Jesus eram eleitos para a vida. E de modo algum sofrerão o dano da segunda morte - Apoc 2:11

Fonte: Estudos do livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS


Um comentário: