terça-feira, 28 de janeiro de 2014

TESTEMUNHO DE UMA EX-LÉSBICA


Andressa Caio nasceu em um lar destruído e sem a presença ativa do pai, por conta disso, foi uma criança e, consequentemente, uma adolescente muito problemática. Aos 15 anos, ingressou no mundo dos vícios, fumava cigarro, maconha; usava cocaína, mesclado e todos os dias bebia muito, tornando-se assim uma dependente química.
Por 4 vezes foi internada no hospital com indícios de loucura, sem consciência e com início de overdose. Após pouco tempo, entrou para o mundo da homossexualidade, pois, segundo Andressa, seus relacionamentos com homens não tinham sucesso, então optou por conhecer mulheres. A partir daí, os problemas só aumentaram, passou a ter depressão, angústia, vivia sem paz interior, enxergava vultos e tinha pensamentos de suicídio. Neste mesmo período de sua vida, foi expulsa de casa e rejeitada por toda a família. Passou a sentir muito ódio das pessoas e planejou acabar com a vida de uma das mulheres com quem se relacionava.
Mas foi neste momento, no fundo do poço, que conheceu o trabalho da Universal. Recebeu a ajuda dos obreiros, pastores e do Força Jovem Universal, que acreditaram nela e não deixaram de ajudá-la em nenhum momento. Hoje, após receber o Espírito Santo em sua vida, Andressa está totalmente transformada. Não tem mais nenhum vício, se libertou da angústia, tristeza, desejo de morrer e da homossexualidade. É uma filha presente em casa vive em paz consigo e com as pessoas ao seu redor, é uma nova mulher em todos os aspectos de sua vida.
EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS



O FENÔMENO CHAMADO FORO DE SÃO PAULO


Até dá pra ser compreensível que haja ocultações de informações, de jogos políticos de dominação e até mesmo conspirações; mas permanecer mais de uma década sem descobertas - nem desconfianças ou investigações- chega ser crônica a imbecilidade dos chamados jornalistas ou o criminoso silêncio sobre a existência dessa enorme organização.

Percebe-se que não é necessário aparecer para governar, não é preciso estar presente nos meios de comunicação para decidir os rumos de todo um continente... e milhões de pessoas ainda pensam em ''soberania nacional" sem perceber as movimentações políticas que indicam por "a+b" que está havendo uma unificação. Uma unificação criminosa, totalitária e perigosíssima para a liberdade de todos...até dos seus adeptos!

Vejam um artigo de Olavo de Carvalho sobre o eixo Latino Americano.  

"O Foro de São Paulo é a mais vasta organização política que já existiu na América Latina e, sem dúvida, uma das maiores do mundo. Dele participam todos os governantes esquerdistas do continente. Mas não é uma organização de esquerda como outra qualquer. Ele reúne mais de uma centena de partidos legais e várias organizações criminosas ligadas ao narcotráfico e à indústria dos seqüestros, como as FARC e o MIR chileno, todas empenhadas numa articulação estratégica comum e na busca de vantagens mútuas. Nunca se viu, no mundo, em escala tão gigantesca, uma convivência tão íntima, tão persistente, tão organizada e tão duradoura entre a política e o crime."

 "Durante dezesseis anos, todos os jornais, canais de TV e estações de rádio deste País – todos, sem exceção, inclusive aqueles que mais se gabavam de primar pelo jornalismo investigativo e pelas denúncias corajosas – se recusaram obstinadamente a noticiar a existência e as atividades dessa organização, malgrado as sucessivas advertências que lhes lancei a respeito, em todos os tons possíveis e imagináveis. Do aviso solícito à provocação insultuosa, das súplicas humildes às argumentações lógicas mais persuasivas, tudo foi inútil. Quando não me respondiam com o silêncio desdenhoso, faziam-no com desconversas levianas, com objeções céticas inteiramente apriorísticas, que dispensavam qualquer exame do assunto, com observações sapientíssimas sobre o meu estado de saúde mental ou com a zombaria mais estúpida e pueril que se pode imaginar. Reagindo a essa pertinaz negação dos fatos, fiz publicar no jornal eletrônico Mídia Sem Máscara as atas quase completas das assembléias e grupos de trabalho do Foro de São Paulo. A volumosa prova documental mostrou-se incapaz de demover os negacionistas. Eles pareciam hipnotizados, estupidificados, mentalmente paralisados diante de uma hipótese mais temível do que seus cérebros poderiam suportar na ocasião."

"O Foro de São Paulo reúne mais de uma centena de partidos legais e várias organizações criminosas ligadas ao narcotráfico e à indústria dos seqüestros, como as FARC e o MIR chileno."

"Mas aí a hipótese da mera ignorância organizada começa a ceder lugar à suspeita de uma trama consciente bem maior do que a nossa paranóia poderia imaginar. Membros importantes do CFR tiveram contatos próximos com as organizações criminosas participantes do Foro de São Paulo, cuja existência, portanto, não poderiam ignorar (leia-se a respeito o meu artigo "Por trás da subversão", Diário do Comércio, dia 05 de junho de 2006, http://www.olavodecarvalho.org/semana/060605dc.html). Em suma, o Brasil parecia estar preso entre as malhas de uma articulação criminosa, que envolvia, ao mesmo tempo, a totalidade dos partidos de esquerda latino-americanos, o grosso da classe jornalística nacional, as principais gangues de narcotraficantes do continente e, por fim, uma parcela nada desprezível da elite política e financeira norte americana."

"A gravidade desses fatos mede-se pela amplitude e persistência da sua ocultação. Crescendo em segredo, o Foro de São Paulo tornou-se o motor principal das transformações históricas no continente, ao mesmo tempo que a ignorância geral a respeito fazia com que os debates públicos – e portanto a totalidade da vida cultural – se afastasse cada vez mais da realidade e se transformasse numa engenharia da alienação, favorecendo ainda mais o crescimento de um esquema de poder que se alimentava gostosamente da sua própria invisibilidade."

 "A queda vertiginosa do nível de consciência pública nessas condições, era não só previsível como inevitável. As opiniões circulantes tornaram-se uma dança grotesca de irrelevâncias, desconversas e erros maciços, ao mesmo tempo em que a violência e a corrupção cresciam ante os olhos atônicos do público e dos formadores de opinião, cada um apegando-se às explicações mais desencontradas, extemporâneas e impotentes. Muitas décadas hão de passar antes que a devastação psicológica resultante desse quadro possa ser revertida. O fabuloso concurso de crimes que a determinou não tem paralelo na história universal."

"Um dos aspectos mais grotescos da situação é a facilidade com que os culpados se desvencilham de qualquer tentativa de denúncia, qualificando-a de "teoria da conspiração". Mas quem falou em conspiração? O que vemos é uma gigantesca movimentação de recursos, de poderes, de organizações, de correntes históricas, que para permanecer imune à curiosidade popular não precisa se esconder em porões, mas apenas apostar na incapacidade pública de apreender a sua complexidade inabarcável e de acreditar na existência de tanta malícia organizada."

"O Foro é uma entidade sui generis, sem correspondência em qualquer época ou país. Longo tempo depois de extinto, como espero venha a sê-lo um dia, ele ainda constituirá um enigma e um desafio ao tirocínio dos historiadores. Para nós, ele é mais do que isso. É o inimigo "onipresente e invisível" sonhado por Antonio Gramsci."


EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

RETRATOS DO COMUNISMO


                                      Ucraniano mortos impiedosamente


                                          Fomes






                                                        Canibalismo



                                        Na Estônia também tem vítimas do comunismo




                                    Campos de trabalhos forçados (gulags)


                                          Crianças polonesas sendo levados para campos de concentração


                                           Promoção de injustiças sociais no Cazaquistão

                                    Mulheres alemãs estupradas e mortas pelos soldados comunistas

                                                Massacre de católicos na Espanha.

Uma coisa comum no comunismo é o estupro em massa.


                                                  Tortura em crianças.




                         Para o comunismo, o ser não significa nada, pois seus corpos cabem em valas.

Campeões em execuções extrajudiciais.

                                                      Mais fomes



                                                        Infanticídio e promoção do aborto

Mais execuções.


Perseguição contra cristãos





















Comunismo no Vietnã










                                                        Escravismo




EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

INTOLERÂNCIA MUÇULMANA NA MALÁSIA


Não importa se são maioria ou minoria, o desejo é ser hegemônico onde quer que pisem os seguidores radicais de Alá. Na Malásia, cujo país é povoado por 60% de muçulmanos ainda assim querem promover conflitos e promover o terror para com os cristãos católicos em Kuala Lumpur.

Já havia uma certa tensão depois quando os cristãos locais passaram a referir "Alá" como o Deus cristão, uma dessas igrejas colocou um outdoor "Alá é grande, Jesus é o Filho de Deus". A partir daí começaram atos de vandalismos e ataques terroristas por parte dos islamitas.

Agora, a Igreja da Assunção foi atacada por dois homens que jogaram coquetel molotov aumentando ainda mais esse problema religioso no país asiático. Os líderes locais temem um que mais ataques possa surgir e agravar essa intolerância. 

Não só na Malásia, mas em outras partes do mundo onde o islamismo está crescente. O interessante é que, como essa religião está sendo instrumentalizada em caráter de ideologia (como no marxismo) eles também usam jovens adeptos para causar guerras culturais (idiota útil chamado por Stalin) é assim em todos os lugares.

Essas e outras perseguições, para ser bem combatida pelo Ocidente, tem que ter as denúncias do próprio Islã contra o terrorismo - coisa sugerida pelo Senador americano Rand Paul -, quando o próprio islã começar a denunciar o terrorismo e sua ilegitimidade como religião é que poderá haver algum efeito de peso... por enquanto, o silêncio dos muçulmanos pacíficos quanto a isso se tornam uma grande arma. 

Fonte em inglês: ÁSIA NEWS

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

sábado, 25 de janeiro de 2014

UM MÁRTIR IRANIANO LEMBRADO 20 ANOS DEPOIS

     túmulo do líder cristão Haik

Há 20 anos atrás, mais necessariamente no dia 19 de janeiro de 1994, foi morto à facadas o líder cristão Haik Hovsepian porque protestava pela libertação de seu amigo, o também pastor Mehdi Dibaj que tinha sido preso por 10 anos e condenado a pena de morte por apostasia.

                                                   Mehdi Dibaj, morreu seis meses depois de Haik

Não só Haik Hovsepian foi perseguido, mais muitos outros líderes cristãos nos anos 90. Um entrevistado iraniano (cujo nome foi mantido em sigilo) disse ao meio de comunicação World Watch Monitor que os cristãos ainda temem as perseguições do governo iraniano... mesmo depois de 20 anos!

Segundo esse entrevistado as perseguições são as mesmas, mas de modos diferentes. Antes eram mais brutais e rapidamente havia assassinatos às  pessoas que se tornavam cristãs, hoje a abordagem é suavizada, porém com mão forte. Usam-se pressões de vários tipos: multas caríssimas, prisões de longo tempo e muitas ameaças.

                                                     Família do pastor Haik Hovsepian

Em 2007 a família Hovsepian fundou uma organização sem fins lucrativos para apoiar e socorrer cristãos que sofrem injustiças no Irã por meio de ajuda jurídica, visitas em igrejas e palestras. A viúva (no centro da foto) está escrevendo seu primeiro livro sobre o assunto além de aconselhar muitas outras viúvas.

Linda história de superação em meios a acontecimentos trágicos em família. É compreensível que muitas indagações à respeito da vontade de Deus possa surgir na mente de quem passa por situações assim; somente aqueles que superam conseguem entender com o tempo, o quanto vale Reino de Deus é para os corajosos que se submetem inteiramente aos seus desígnios.

Fonte em inglês: WORLD WATCH MONITOR

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

REBELDES SÍRIOS? QUER DIZER, JOVENS EUROPEUS RECRUTADOS!

               Irmãos franceses convertidos ao Islã que foram à Síria; já estão mortos.

O que se houve nos jornais brasileiros (como se fossem verdadeiramente canais de informação) que os rebeldes na Síria são Sírios; nada mais inverossímil ! Síria foi praticamente invadida pela Al Qaeda e filiados assim como Talibã e filiados.

Morticínios estão acontecendo, coisas horrendas e hediondas demais para compatriotas fazerem - por mais sanguinários que sejam! São relatos de invasões igual aos tempos da Antiguidade quando reinos disputavam terras e milhares de inocentes eram massacrados.

Tal é a organização das redes de grupos terroristas (suavemente chamados de "grupos jihadistas¹") que consegue, ideologicamente, recrutar jovens de nacionalidade não árabe-muçulmano como jovens europeus. Grande parte desses jovens são levados à Síria para "treinamentos para Guerra Santa".

                                               Jovem alemão convertido ao Islã em combate na Síria.

Pacientemente, no decorrer dos anos, cada vez mais islamitas vão entrando nas universidades europeias, intelectuais e jornalistas muçulmanos assim como membros dos parlamentos fazendo a difusão não só da cultura árabe-islâmica, mas também vão propagando suas ideias de proselitismo ideológico visando um Califado Universal; os jovens são as mentes mais vulneráveis e as maiores presas.

                                                  Alemão jihadista voluntário no Paquistão.

Estima-se que 1.900 europeus foram lutar na Síria, entre eles 700 cidadão franceses! Está ficando alarmante o crescimento de um pensamento intolerante e genocida que é o radicalismo islâmico. As grandes consequências desse fenômeno mundial é que; caso vencendo a guerra na Síria, esses jovens voltarão para a Europa como "heróis" do Islã, sendo já bem treinados em táticas de guerrilhas e terrorismos, começarão a exercer suas práticas no país em que vieram.

Fonte em inglês: GATESTONE INSTITUTE

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

¹ guerrilheiros de extremistas muçulmanos.