quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

EX-LÉSBICA FABRÍCIA


Fabrícia era lésbica, filha de mãe cristã evangélica tinha ido a igreja em Belo Horizonte MG para assistir a pregação do pastor Marco Feliciano que até então era presidente da CDHM - Comissão de Direitos Humanos e Minorias; o dia era 05-10-2013 - era o tempo das contínuas manifestações contra o pastor deputado com acusações de homofobia.

Enquanto militantes e simpatizantes da causa LGBTT (não da causa gay) manifestavam o incoerente jargão "Feliciano Não Me Representa" (óbvio, pois se não votaram nele claro que não representa) Fabrícia, até então lésbica, tinha comprado fora daquela igreja a camiseta "Feliciano Me Representa" e tirou uma foto com o pastor.


foto quando ela era lésbica com a camiseta "Feliciano Me Representa"

Nesse mesmo dia ela se sentiu impactada pelo Espírito Santo, isso a tirou do comportamento lésbico. Uma coisa os militantes deveriam aprender: perseguição ostensiva e sistemática, ainda que com a ajuda das mídias de massa, converge em mais atenção ao sujeito perseguido, mais pesquisa sobre ele; e, consequentemente ganha apoio dos muitos honestos de influência até da mesma classe que o persegue.

Extraído do blog: BLOG DO FELICIANO

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Um comentário:

  1. Deus é Fiel. Que ele continue abençoando esse lindo ministério. Bjs

    ResponderExcluir