sábado, 2 de agosto de 2014

ANTISSEMITISMO PATOLÓGICO NA ESPANHA

                                                    manifestação antissemita na Espanha

"É possível criticar legitimamente Israel. Me cheira bem quando toda a culpa é atribuída a Israel, sem sequer mencionar o pequeno detalhe de que um grupo terrorista e jihadista que governa Gaza infringiu todos os princípios humanitários concebível, usando civis como escudos humanos de lançamentos de mísseis pelos apartamentos, enquanto seus líderes vivem confortavelmente no Qatar como hóspedes de um Sheik." - Ángel Mas, analista espanhol.

Estranho que não há nenhum protesto na Espanha pela morte de mais de 160.000 pessoas em três anos de luta na Síria; a dizimação de comunidades cristãs antigas nas mãos de islamitas no Iraque; o sequestro de 300 meninas pro islâmicos na Nigéria; ou a derrubada de um avião de civis na Ucrânia.

Na Europa já é relativamente coletivo o pensamento antijudaico a ponto de qualquer notícia do conflito de Gaza virem de forma deturpada ou bem tendenciosa sem a análise perfeita dos fatos. A cobertura da mídia espanhola, mídia impressa e o espectro político tem apresentado sempre Israel como agressor e Estado terrorista. Tem feito todos os esforços para achar erros, crimes de guerra e aparentes injustiças dos judeus enquanto nem perscrutam os ataques de foguetes vindo de Gaza, controlada pelo Hamas, antes mesmo do sequestro e assassinato de três adolescentes israelenses.

Também pouco se fala da persistência dos palestinos em querer legitimar seu Estado em detrimento dos problemas territoriais. Em 1977, o jornal Holandês Trouw publicou uma entrevista com Organização para a Libertação da Palestina oficial Zuheir Mohsen e que ADMITIU:

" O povo palestino não existe. A criação de um Estado palestino é apenas um meio para continuar a nossa luta contra o Estado de Israel para a nossa unidade árabe. Na realidade, hoje em dia, não há diferença entre jordanianos, palestinos, sírios libaneses. Só por razões políticas e táticas é que vamos falar sobre a existência de um povo palestino", já que os interesses da demanda nacional árabe que postulam a existência de um distinto ''povo palestino'' para se opõe ao sionismo.

Segundo o analista espanhol Ángel Mas, as acusações levianas de genocídio israelense são um reflexo do antissemitismo profundo da esquerda ideológica disfarçado de crítica legítima de Israel.

No resto da Espanha, um festival católico romano em honra ao Apóstolo Tiago, na cidade espanhola de Ceuta em 25 de julho foi sequestrado por ativistas que protestavam contra o "extermínio do povo palestino" (foto no início do artigo).

As pesquisas de opinião mostra que a Espanha é um dos países mais antissemita na Europa... é antissemitismo de forma descarada em qualquer meios de comunicação e no tecido cultural espanhol.


Pra quem ainda não compreende o conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas assista o vídeo que em cinco minutos dá pra se entender um pouco do assunto:


Fonte: GATESTONE INSTITUTE

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS




Um comentário:

  1. Olá tudo bem? Graça e a paz!
    Estou passando aqui, porque indiquei seu lindo blog a um selo! Confira no link a seguir:

    http://resgatadapeloreii.blogspot.com.br/2014/08/premiacao-do-blog.html

    Deus abençoe grandemente! :D

    ResponderExcluir