sexta-feira, 16 de maio de 2014

PROFECIAS SE CUMPRINDO A OLHO NU - ANTIJUDAÍSMO


Não é necessário nascer um novo Adolf Hitler ou se levantar um neonazismo para que se levante novas perseguições contra o povo de Israel ao redor do mundo (como tem sido desde o seu início). Os judeus sempre tem sido um povo destacável em qualquer era, em qualquer império e em qualquer circunstâncias: seja pelo seu desenvolvimento nos negócios, seja em artes e agora, com essa onda de multiculturalismo - com seu nacionalismo e conservadorismo.

No entanto, nesses últimos tempos, vivemos em um mundo cada vez mais muçulmano. A Europa está repleto e com cada vez mais força cultural, político e financeiro; nos EUA há muitos lobistas muçulmano entranhando nos congressos e nas universidades enquanto no Oriente Médio a Sharia (lei islâmica) vai se alastrando, tomando conta de tudo e exterminando cristãos.

Resta alguns poucos lugares onde vive as comunidades judaicas nos EUA, Brasil e alguns lugares da Europa; no entanto, profeticamente tem aumentado o número de judeus retornando à Israel. Assim como profeticamente está aumentando o número de pessoas contrárias tanto à cultura judaica como para os próprios judeus... e isso se manifesta por meio de propagandas e falsidade histórica nas menções do povo israelita.


Segundo uma pesquisa da Liga Antidifamação (ADL), uma instituição judaica, cerca de 1,09 bilhões de pessoas no mundo têm opiniões antijudaicas. 50 mil adultos em 102 países foram entrevistados com bases em 11 afirmações correntes no mundo sobre os judeus e sua relação com o governo dos EUA, globalização, nacionalismo, questões do Holocausto, sua responsabilidade em guerras, seus comportamentos e seu poder no mercado financeiro.

Dos 11 estereótipos um pessoa antissemita teria que concordar com pelo menos 6 das afirmações antissemitas (critérios da própria ONG).



Para os pesquisadores, 26% dos entrevistados tinham atitudes antissemitas, porcentagem que equivale a 1,09 bilhões das pessoas no mundo. 41% disseram acreditar que os "judeus são mais leais a Israel do que ao país em que viviam enquanto 35% concordaram "os judeus têm muito poder no mundo dos negócios e 46% não sabem nada sobre o genocídio pelos nazistas.

Com obviedade, os países do Oriente Médio e Norte da África estão entre os mais antijudaicos com o destaque da Cisjordânia e Faixa de Gaza que possuem 93% dos entrevistados com uma perspectiva negativa dos judeus.

É só questão de tempo para que o mundo se condicione e se prepare para o evento descrito abaixo:

"Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém..."  - Zac 14:2
"Então, os ajuntaram no lugar da batalha que em hebraico chama-se Armagedom." -Apoc 16:16 

Fonte: ON

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

2 comentários:

  1. texto bem esclarecedor ,passando para retribuir a visita ,e desejar a você um lindo final de semana.
    http://reginaladydapaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: a perseguição aos judeus. Portanto, nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir