sexta-feira, 11 de abril de 2014

O GENOCÍDIO ARTÍSTICO DO NAZISMO AINDA EM QUESTÃO

             (Joseph Goebbels - Ministro da Propaganda -, visita exposição de arte confiscada pelo regime nazista)

Muito dos efeitos do regime nazista na época da Segunda Guerra Mundial perduram até hoje; uma delas são a censura da arte e cultura pelos nazistas que a consideravam "degeneradas" e por isso, confiscavam por completo.

Em 2012 foi revelado uma riqueza artística de 1.400 obras escondidas em um apartamento na Alemanha que valiam cerca dos incríveis 1.350.000.000 de dólares que pertenciam a judeus que fugiam da perseguição nazista.

O último achado envolve 180 obras na segunda casa do mesmo dono do apartamento citado acima; só ao fim das investigações, encontraram ao todo 238 obras entre pinturas, aquarelas e desenhos de vários artistas como Pablo Picasso, Monet, Toulouse e outros.

O governo alemão não está agindo eficientemente nos processos investigativos quanto a historicidade desse caso que envolve o nazismo na Segunda Guerra, nem parece estar agindo honestamente quanto a divulgação das informações devido a valor inestimável das obras de artes que ficaram ocultas durante tanto tempo e que comprovam o genocídio cultural do regime nazista.

Além do mais, há muita confusão quanto aos proprietários dessas obras, seus direitos de heranças e assuntos jurídicos relacionados. É necessário uma grande força-tarefa "acadêmica" para desvendar inúmeros segredos, concluir muitas pesquisas históricas e auxiliar em muitos processos legais quanto a esse crime artístico em escala monumental para os europeus.


EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS 

Nenhum comentário:

Postar um comentário