sexta-feira, 11 de abril de 2014

A SHARIA NA INGLATERRA



O desenvolvimento e a conjuntura de leis, subprocessos judiciais e o grande investimento pró islã no Reino Unido é a prova cabal do projeto de um Califado Muçulmano em escala global. A Sharia* (governo teocrático islâmico) está cada vez mais minando a soberania inglesa e criando corpo em toda a sociedade por meio de associações de advogados, orientadores jurídicos e o crescente apoio do parlamento britânico com a islamização dessa potência europeia.

A Sociedade dos Advogados - orgão que representa e assessora advogados na Inglaterra e País de Gales - decidiu fazer orientações aos seus membros sobre a forma de elaborar testamentos de acordo com a Lei Islâmica. Isso significa que as mulheres não terão partes iguais em herança assim como os não-muçulmanos.

Não só esse, mas muitos outros casos semelhantes já ocorreram e estarão pra ser mais aceitos na Inglaterra devido a sua abertura na lei 1.996 que permiti, pela aceitação das duas partes em disputa em um processo, que o caso seja regido por um árbitro religioso, social ou algum outro. Isso ajudaria a economizar tempo dos tribunais, satisfazer demandas de grupos religiosos e consequentemente, dar o selo de aprovação do Estado em questões jurídicos à essas arbitragens religiosas... é a faca e o queijo que os defensores da Sharia queriam.

O efeito colateral será enorme e maligno em muitos setores da sociedade como a liberdade religiosa dos filhos quando pais são islâmicos, os direitos e liberdade das mulheres quanto a divórcios e outros assuntos conjugais; aliás, haverá muitas restrições para as mulheres como a não cooperação da policial em casos domésticos de violência e a obrigação da mulher permanecer com o marido... as mulheres não terão chance alguma com o avanço da Sharia nesse país.


Provas evidentes

  • Há estimas de que há 85 ou mais "tribunais muçulmanos" em operações no Reino Unido. O pregador muçulmano Anjem Choudary mencionou em uma entrevista que dirige o seu "tribunal Sharia" através de sua van e de seu telefone celular.  


  • Um muçulmano britânico morreu sem deixar testamento. A disputa da sua propriedade foi arbitrada o qual foi desembolsadas; de acordo com os princípios da Sharia (supervisionados pela Sharia local) as filhas teve metade da herança que seus irmãos tiveram.


Não só em direitos familiares que a Sharia está tomando força; em projetos financeiros e de investimentos o Reino Unido está "islamicamente avançado": Há um desejo do governo fazer da Grã-Bretanha um Centro Islâmico de Finanças. Isto inclui a emissão pelo governo britânico - o primeiro país não muçulmano - de títulos da "Sharia Compliant".

Todas as decisões financeiras, e as decisões sobre a probidade dos investimentos será feita por uma equipe de estudiosos islâmicos. O governo britânico está apoiando o crescimento do investimento em fundos da Sharia e fortalecendo as pessoas que o promovem.  

                                  (Primeiro Ministro Britânico no Fórum Econômico Mundial Islâmico) 

Qual é a dúvida de que a Europa está sendo engolida pela cultura árabe-muçulmana? Qual é a dúvida que o Islã está se tornando uma força mundial na política, na cultura, nas finanças e na propagação religiosa? Qual a dúvida da existência de um projeto de dominação islâmica ocidental?


Leia também: CALIFADO UNIVERSAL

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS


Nenhum comentário:

Postar um comentário