segunda-feira, 17 de março de 2014

150 MORTOS EM ALDEIAS CRISTÃS NA NIGÉRIA

                                                    (grupo extremista islâmico Boko-Haram)

Apesar de haver outros motivos para guerras civis, os que pagam com conflitos étnicos são cidadãos de bem e as minorias cristãs. O enorme problema dos cristãos na Nigéria é que os dois grupos são muçulmanos - Fulani, um grupo étnico local e a milícia Boko-Haram -, este segundo deseja estabelecer a Sharia (governo islâmico) no norte do país.

Na sexta-feira, dia 14, três aldeias foram invadidas por homens armados matando 114 pessoas; já no domingo mais aldeias foram atacadas assassinando 35 pessoas e uma igreja católica foi atacada. Em um outro lugar da Nigéria no mesmo domingo, duas igrejas e várias casas foram queimadas.

Os bispos católicos da Nigéria dizem que dimensão religiosa do conflito é fundamentada por agricultores de donos de grandes terras, alguns desses grupos étnicos adotaram o cristianismo como religião. O grupo étnico muçulmano Pastores do Oeste Africano têm grande histórico de voraz aversão contra cristãos e indígenas nigerianos.

Talvez o teor de muitos dos ataques contra cristãos na Nigéria pode não ser definido como martírio no sentido puro do termo (por motivo unicamente de questão religiosa), no entanto, em Pela Birni - povoado cristão - homens armados invadiram as casas gritando "Alah Akbhar" (Deus é grande) e ordenaram a retirada dos residentes pra incendiá-las com o seguinte argumento: "  Estamos aqui para fazer a obra de Alah."

Fonte: WORLD WATCH MONITOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário