segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

INTOLERÂNCIA MUÇULMANA NA MALÁSIA


Não importa se são maioria ou minoria, o desejo é ser hegemônico onde quer que pisem os seguidores radicais de Alá. Na Malásia, cujo país é povoado por 60% de muçulmanos ainda assim querem promover conflitos e promover o terror para com os cristãos católicos em Kuala Lumpur.

Já havia uma certa tensão depois quando os cristãos locais passaram a referir "Alá" como o Deus cristão, uma dessas igrejas colocou um outdoor "Alá é grande, Jesus é o Filho de Deus". A partir daí começaram atos de vandalismos e ataques terroristas por parte dos islamitas.

Agora, a Igreja da Assunção foi atacada por dois homens que jogaram coquetel molotov aumentando ainda mais esse problema religioso no país asiático. Os líderes locais temem um que mais ataques possa surgir e agravar essa intolerância. 

Não só na Malásia, mas em outras partes do mundo onde o islamismo está crescente. O interessante é que, como essa religião está sendo instrumentalizada em caráter de ideologia (como no marxismo) eles também usam jovens adeptos para causar guerras culturais (idiota útil chamado por Stalin) é assim em todos os lugares.

Essas e outras perseguições, para ser bem combatida pelo Ocidente, tem que ter as denúncias do próprio Islã contra o terrorismo - coisa sugerida pelo Senador americano Rand Paul -, quando o próprio islã começar a denunciar o terrorismo e sua ilegitimidade como religião é que poderá haver algum efeito de peso... por enquanto, o silêncio dos muçulmanos pacíficos quanto a isso se tornam uma grande arma. 

Fonte em inglês: ÁSIA NEWS

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário