domingo, 27 de janeiro de 2013

Primavera Árabe = Portas Abertas. (Mudança de Opinião)





"Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." Provérbios 4:18. Esse é o versículo chave contida e vivida por esse blog; claro que diz respeito a vida de um justo na fé mas também pode com certeza corresponder ao conhecimento em geral; muitas vezes somos viciados em tomar partidos, lançar sentenças ou dar a palavra final a respeito de alguma coisa sem conhecer ela em toda  a sua abrangência e no seu estado mais puro; ou seja, o mais perto possível de sua fonte primária.

A mudança de opinião nem sempre significa oscilação no modo de ver as coisas ou uma atenção ténue dos fatos ao nosso redor; a mudança de opinião pode denotar um amante da verdade, um buscador da realidade que vai "brilhando mais e mais"; é o que eu tenho tentado a ser; com isso, apreendi diversas coisas em muitas áreas do conhecimento na sua estrutura real, completa e evidente dos fatos observados, contestados e comprovados; uma delas é a respeito do assunto deste post.

No dia 14 de março de 2012 eu fiz um post sobre Primavera Árabe = Portas Abertas dando um sentido benéfico não só para os habitantes desses lugares (no qual seria ao meu ver o florescer da democracia) mas também para a entrada de missionários cristãos e a expansão do evangelho sem impedimento no Oriente Médio e no Norte da África. Essa maneira de ver este grande fenômeno histórico/mundial é praticamente a mesma maneira de ver daqueles que querem que vejamos como uma situação boa; ou seja, a visão dos financiadores de toda essa revolução.



Essa chamada "Primavera" pode sim soar como libertação da opressão, assim como vimos em muitos desses países pessoas com bandeiras escritos Democracy/Liberty,  الديمقراطية / الحرية ; mas a realidade é infelizmente outra....é terrível e maléfica para a comunidade cristã instalada nesses países. Apesar do singelo pedido do presidente Barack Obama e Comunidade Europeia de fazer "uma transição pacífica e violenta" (como se fosse possível), mostra a hipocrisia e o caráter facinoroso desses líderes cujo o intento não é a democracia; percebe-se isso pelo grande investimento dos EUA (em época de crise) de bilhões de dólares para o fortalecimentos de rebeldes (armamentos) enquanto aumentava o desemprego no seu país, e a mesma coisa foi com a ajuda dos europeus mesmo com sua economia e situação política de muitos países respirando por aparelhos na época; daí nota-se uma projeção sistematizada revolucionária que não engloba somente os árabes e os africanos mas todo uma descaracterização do sistema político-social-econômico-religioso dessa extensa faixa de terra no mundo que sempre foi tão disputada.

Com essa revolução está caindo regimes totalitários e alguns radicais, mas o poder está sendo transferido para um governo ultra-radical e opressor em todos países islâmicos: A Fraternidade Islâmica. Países como Tunísia, Egito e Nigéria eram países de maioria mulçumana mas havia uma porcentagem considerável e bem respeitada de cristãos, porém com a Fraternidade Islâmica no poder suscitou-se grandes perseguições aos cristãos desses países; perseguições ferrenhas como assassinatos, queima de igrejas, ataques terroristas a estabelecimentos comerciais de cristãos, estrupos, ataques em colégios com educação cristã, execuções de missionários; enfim, toda sorte de genocídio para exterminar toda oposição haja vista que o grande intuito desse sistema político/religioso é o establecimento da Sharia em todos os países islâmicos.

Desde que a Irmandade Islâmica subiu ao poder no Egito, Tunísia e Líbia, está havendo muita perseguição contra os cristãos desde as mais altas esferas da política através de leis de coação aos cristãos até nas ruas por grupos extremistas; e diga-se de passagem, a Irmandade Islâmica é muito pior que todos os grupos extremistas como Al Qaeda, Hamas, Hezbollah, Talibã etc; esses são o braço armado que vai ganhando terreno para o braço político que é a Fraternidade governar.

Não duvido do poder de Deus em ainda continuar agindo através de missionários nesses lugares, sei que Ele pode fazer tudo sem dificuldade alguma; no entanto, está muito difícil agora com a dizimação em todo canto do Oriente Médio. Que Deus possa ter misericórdia da inépcia dos ocidentais e da perseguição contra nossos irmãos no mundo!

Cristãs mortos durante culto no Paquistão
Extremistas querem eliminar cristãos
Político americano pede o despertar da igreja sobre perseguição
Professor cristão é degolado no Iraque
Um cristão morto a cada 5 minutos
A intolerância do Islã e suas imputações
Cristãos são os mais privados dos direitos humanos



Ezequiel Domingues dos Santos

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Como frear a militância da igreja


''Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim, poderosas em Deus, para a destruição das fortalezas''.  2ªCor 10:4

A igreja de Cristo sempre teve um papel importante e cumpria isso com muito suor e sangue rolando no chão; mesmo no furor do império romano a igreja conquistava mais e mais adeptos até que não havia mais jeito; ou era aceitar a presença dos ''nazarenos'' ou continuar com a carnificina e extinguir Roma.

O efeito do ''ide''de Jesus teve mudanças cataclísmicas em todo o mundo; foi e continua sendo um grande agente histórico/transformador que trouxe serenidade, esperança e austeridade em meio aos desenfreados bárbaros; foi um agente civilizador em todo o Ocidente, influenciou grande parte das leis em todos países ocidentais e alguns orientais, enfim, deu um novo sentido de vida para milhões, e graças ao engajamento em missões a igreja sempre continuou crescendo e entrando em lugares que era impossível de entrar.

Mas, vendo que a igreja sempre cresce no sentido explosivo; o que está havendo no mundo com esse crescimento de religiões mundias, alternativas; a volta do paganismo, do gnosticismo, vários cismas entre o próprio cristianismo e uma crescente geração ateia e odiosamente antirreligiosa ?

Quem ver esse título pode imaginar que o autor dele pretende expôr dicas para lutar contra igreja de Cristo, nada disso; sei que as portas do inferno não prevalece contra a igreja (Mat 16:18), mostrarei apenas algumas dentre muitas sutilezas e estratagemas feitas pelo príncipe deste mundo; por mais que se possa encontrar explicações sociológicas sobre os temas expostos abaixo, lembramos que todos os acontecimentos no mundo referido ao plano de Deus para a humanidade tem o seu dedo, sua aprovação ou reprovação, seu controle, sua liberação etc...Ele está ciente do que se passa e nada lhe é oculto (Heb 4:13).


  • Indústria do escândalo: Sabemos que não devemos nos levar em conta pelo que as informações correntes na opinião pública fazem com nossa imagem, mas isso tem um efeito devastador no neófito, no irmão oscilante, fácil de ser abaldo na fé, sem contar que no Brasil muita gente são propícias a generalizarem as causas isoladas tendo a impressão de totalidade ex: escândalo sexual ''todos os padres são pedófilos'', políticos ''todos sem exceção são corruptos'', ''todo pastor rouba''e coisas do tipo. A indústria do escândalo é promissor nesse país pois aqui é o lugar onde mais se absorve facilmente outras culturas e é muito mais influenciada cegamente ao que põe em sua frente (desde o tempo dos índios é assim praticamente) ,sendo assim, observando o cenário da grande mídia onde 70% da população é orientada por apenas um canal de comunicação dá pra se notar onde o país pode chegar; cresce o número de pessoas decepcionadas com a religião, com Deus, com líderes; e como foi dito agora pouco - a tendência de generalizar- acaba por se voltar contra toda pessoa que representa a ''classe'' fechando o coração para pelo menos ouvir a pregação do evangelho.

  • Lapidação do discurso religioso: A grande influência do pensamento pós-moderno regado de existencialismo, materialismo, relativismo, pragmatismo e até egocentrismo dentro da igreja é um outro fenômeno mais devastador ainda porque ela age de dentro pra fora descaracterizando o seu papel de extensão do Reino de Deus na Terra; essas maneiras de pensar; e que nada tem a ver com as Escrituras, transforma completamente a cosmovisão do indivíduo em sua totalidade, de modo que altera o teor de seus louvores, pregações, comportamentos dos fiéis ao ponto de não distinguir a igreja de um clube social, de uma palestra de auto-ajuda, de um consultório de psicologia, de um show, ou um evento em horário nobre... tudo, menos o lugar onde nos reunimos para adorar a Deus e praticar a comunhão com os irmãos; quando o foco de todos os elementos de um culto não forem direcionadas a Deus, a igreja toma outra direção e acaba recebendo outros tipos de elementos.

  • Apagar a linha de separação: Sabemos que Paulo disse que não é necessário vivermos em ostracismo (1ªCor 5:10), mas não significa aprovar o pecado e sermos complacentes com tudo; a igreja tem essa grande capacidade de mudar as coisas ao seu redor ou pelo menos brilhar em meio as trevas; mas o que tem acontecido é ao contrário, a sucessofobia (medo de não ser aprovado) toma conta de muito de nossos irmãos que não conseguem discordar de seus amigos, ou não consegue expôr um ''a'' sobre a Palavra de Deus por medo de serem rejeitados e serem excluídos de sua vida social; ou, por serem escarnecidos e ganharem novo apelido na praça e ''manchar'' sua imagem. Essa atitude é contradizente com a missão individual de espalhar o bom cheiro do conhecimento de Cristo aonde quer que estejamos (2ªCor 2:14-16) ah! sem contar também os que gostam do pecado e não sabem o que é arrepender-se achando que pode praticar um cristianismo a seu bel-prazer o ponto de não sabermos quem é de Jesus ou só conhece de longe... a linha da santidade está sendo apagada.

  • A falta de unidade: É fato que o próprio número de ministérios que saem de dentro de outros ministérios já denotam que seus líderes não compartilharam de um mesmo pensamento; mas, pelo menos se permanecessem nas questões fundamentais como doutrinas e credos; pois assim manteria a ''unidade espiritual'' subjetivamente falando e manter o mesmo pensamento de saber com quem estamos lutando. A falta de unidade desvirtua a militância coletiva da igreja; tanto no sentido missiológico quanto sociológico; imaginem: se os 120 milhões de católicos e os 43 milhões de evangélicos (não aprovo o ecumenismo) se unissem com grande força e pressionassem o governo contra a legalização de muitas coisas bizarras como estão fazendo hoje e contra o boicote generalizado da tradição cristão inserida no Brasil não seria interessante?.....se não utópico!, quem sabe aí cabe aquela antiga frase '' a união faz a força''.


Pois bem, existem muitas outras coisas, fenômenos e agentes que estão querendo aplacar a força da igreja; sabemos quem está por trás de tudo isso e não ignoramos seus ardis (2ªCor 2:11), também sabemos que notadamente profecias estão se cumprindo em relação ao esfriamento e apostasia da fé (Mat 24:12 e 1ªTm 4:1); mas, sabemos que no final da história a igreja será vitoriosa; não será fácil; o cerco vai se fechando, as lutas internas e externas vão tentar minimizar mais e mais a influência da igreja em vários lugares do mundo (o desejo mesmo é liquidar) mas apesar de tudo os desígnios de Deus serão cumprido e nenhum de seus planos podem ser frustrados (Jó 42:2).


''Desde agora, a coroa da justiça  me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz,  me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda''.                                       2ªTm 4:8


                             Ezequiel Domingues dos Santos



quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Resposta a um ateu




Esse pequeno debate se deu nos comentários de um vídeo no  youtube  veja Evolucionismo x Criacionismo.


Argumentação de Rudson
  • "O Darwinismo não é genocida, pergunte aos poucos sobreviventes de Johny's Town.
  • Sobre Racismo e Apologia genocida, acredito que o cristianismo está muito mais próximo, diga com honestidade, gente como eu que sou DARWINISTA E NEO ATEU, independetemente do bem que pratico não mereço viver nos céus?
  • As esperanças de muitos cristão é justamente a vinda de cristo e o assassinato dos infieis, nada diferente dos homens bombas muçulmanos, não conheço nenhum DARWINISTA com tal convixão
  • Abra o sagrado livro da bíblia, e me responda:
  • Aonde está a teoria da relatividade geral dentro dela.
  • Aonde está o mapa do corpo humano.
  • Em que parte podemos tirar o rico conhecimento sobre os vegtais.
  • Cadê dentro da biblia referencia as, briofitas, pteridofitas, gimnospermas e angiospermas.
  • O que é genoma dentro da biblia.
  • O que são as estrelas do ceu noturno.
  • Isso não é nem um pouco diferente dos papinhos sobre ovnis. Fim dos tempos!!! UHHHHH, Medo bíblico
 
  • Eu tenho nojo de criacionistas que lutam contra a evolução. Se o clamor é falta de evidência para invalidar a teoria, comprem um espelho, pois os criacionistas são realmente a personificação de toda hipocrisia e demagogia, afinal quem acredita em oração e milagres não são os ciêntistas que lidam com as inúmeras evidências geradas pela teoria da evolução. Antes de qualquer ataque perguntem a si mesmos(Criacionistas); O que o Criacionismo trouxe. Religião, e não somente uma.
  • A teoria da moda, NEODARWINISMO, não é moda, é uma forma de catalogar as novas pesquisas sobre a teoria da evolução de Darwin e conjunto com a teoria da Hereditariedade de Gregor Mendel. Também é chamada de teoria Sintática da Evolução, por trabalhar exatamente dentro do aspecto da reprodução, variação e adaptação. Sugiro que faça uma consulta dentro dos artigos sobre deriva genêtica.
  • Prevenimos a pandemia através das novas descobertas dentro da teoria NEODARWINISTA
  • Há 'N', teorias não somente a de Darwin, não precisa ficar chateado com ele, por exemplo, em sua grande maioria o criacinistas acreditam em um mundo mais novo do que é ensinado na escola, você pode esculaxar Hubble, pois ele mostrou que o universo é mais antingo do que se imaginava. Você pode Criticar Francis Crick por ter encontrado a dupla helice do DNA, provando que Mendel estava certo em sua teoria da Hereditariedade, os físicos que tiraram a terra do centro do universo. Prove a você mesmo.
  • Esculachar não resolve, podemos entrar em um debate sobre a teoria de Darwin, não importa de onde você acha que ele tirou a teoria, preciso que você esponha as negativas das afirmações dele. Por exemplo, mostre que os indíviduos não modificam, mostre que as réplicas são perfeitas, mostre que o meio natural é estável e que os animais também não se adaptam.
  • Ciência: Traga sua proposta, e mostre os resultados. Pseudo ciência? Criacionistas não possuem espelhos? Antes de desacreditar Darwin, mostre as evidências da criação. Naturalismo filosófico, quanta apelação! Evolução não é filosofia. Evolução é ciência, GTAC não é uma frase divina, é gene. O gene sofre modificações, os genes são transmitidos. Controversia? Qual? Deus e Evolução? Não vejo Deus, vejo animais."


  •  Argumentação de Ezequiel Domingues dos Santos

    Olá Rudson, eu li atentamente seus comentários e dá pra notar sua erudição no assunto e seu empenho em argumentar ponto a ponto do que disse sem sair do foco, me desafiando em outros pontos e sem ofender minha pessoa ( no caso do nojo é uma questão individual de gosto); é difícil encontrar ateus que se dirigem dessa forma.
    Se eu rebatesse ponto a ponto daria uma infinidade de coisas que além de ninguém convencer ninguém, com certeza desembocaria em outros assuntos; (e também admito que não domino alguns pontos citados por você o qual recebo a sugestão sobre deriva genética); contudo,  quem sairia ganhando com isso é o leitor dos comentários.
    Por isso só farei algumas considerações sobre suas colocações:
    * A segunda vinda de Cristo é uma esperança cristã, mas o assassinato de infiéis não, inclusive é motivo de tristeza para um cristão autêntico que bilhões de pessoas vão se perder pela porta larga; Nisso há um abismo enorme com os mulçumanos cujo própria missão indivídual é a responsabilidade de contribuição para um califado universal mesmo pelo braço armado (terrorismo).
    * A teoria de Darwin não foi esculachada por mim, se as palavras denotam isso não era a intenção; por serem escritas podem tomar novos significados pra quem ler com pré-conceitos determinados.
    *A bíblia tem muitas passagens que mostra muitas comprovações científicas muitos antes das “grandes descobertas” na renascência , pode se encontrar nela: psicologia,filosofia,antropologia, arquitetura,logística e incrivelmente física quântica! (pela internet dá pra se pesquisar sobre isso) só não aparenta porque não se usa linguagem técnica/científica e nem aprofunda nisso pois o propósito de Deus é  salvação do homem contra o mal maior que pode determinar o seu destino eterno; o pecado. No caso do genoma é só você verificar a bibliografia de seu próprio descobridor (Francis Collins) que por ironia é cristão.
    *Os meios de adaptação eu acho um assunto complicadíssimo pra se tachar como verdade absoluta pois o caminho lógico de sua origem para o diagnóstico de sua causa final é sempre indireto e problemático, se ele apresenta como direto e imediato, o mínimo que a prudência recomenda é averiguar se a decisão não antecedeu e determinou o diagnóstico.
    *Acredito que você assim como eu sempre busca a verdade dos fatos desapaixonadamente. Na questão da origem sobre a teoria não que eu acho ...O evolucionismo é a tradução biológica de uma ideologia-mítica/ocultista de Erasmus Darwin, depois transfigura-se numa ideologia político-social com Hebert Spencer e, por fim, numa hipótese biológica com seu neto Charles Darwin. O caráter genocida da teoria (dentre muitas) “A liquidação das [raças inferiores] é um processo evolutivo normal e desejável” com essas palavras só não entenderá quem não quer, e outra prova é seu companheiro Ernst Haeckel que montou pessoalmente organizações racistas dos quais ajudaram a formular o nazismo.
    *Se você ver em fontes britânicas verá que é real a não autoria de Darwin a essa teoria e seus elementos esotéricos; seu envolvimento em sociedade esotérica na universidade (perdoável pois isso era febre na época) e muitas outras coisas como por exemplo o envolvimento na alquimia por Isaac Newton.  se fixar somente em nosso ensino provinciano (não sei se é o seu caso) não saberemos nada na sua real estrutura.


    Ezequiel Domingues dos Santos

    terça-feira, 15 de janeiro de 2013

    Casamento Gay




    Engraçado... Por que casar está em desuso entre a sociedade e - na contramão da última tendência - os homossexuais estão lutando tanto para alcançar este “direito”? Por que esta insistência, essa batalha travada em se unirem em matrimônio?
     
     Por um lado dizem: Aproveitem a vida! Não casem! Casamento = ‘game over’; por outro: Nós queremos casar! Queremos... Queremos... Queremos!
    O que querem, afinal?
     
    Por que esse desespero em se darem em casamento, se a sociedade já ‘ abençoou’ o velho ditado: ‘amigado com fé, casado é’. E mais. As leis civis garantem aos companheiros, dependendo do tempo de convívio efetivo, amplos direitos sucessórios. O que querem mais?
     
    A perenidade do relacionamento não depende inteiramente da ‘bênção’ daquele que realiza a cerimônia, mas sim do próprio par na identidade daquilo que buscam, afinidade, cumplicidade, companheirismo e, principalmente, amor.
     
     Na verdade, eu sempre achei - e seguirei firme nesse posicionamento até que me convençam do contrário – que é muito difícil para o homossexual se assumir e se aceitar como é. Talvez mais difícil para ele que para nós, heterossexuais.
     
    Vêm os primeiros desejos, as ânsias. Parece que o próprio corpo pede algo que a mente luta contra. Batalhas diárias são travadas entre a mente e o corpo. É uma luta dura e covarde, pois ao mesmo tempo que não pretende se render, o corpo grita e é muito forte. Uma sensação praticamente incontrolável. Então, a saída – não definitiva – é a aceitação.
     
     Uma vez aceito aquilo que a carne inflama, passa-se à assunção.
     
    O descobrimento e a aceitação são fases que trazem conflitos, ainda que tão somente internos. Daí extrai-se que, se seu subconsciente – se assim posso dizer - briga com aquilo que o seu corpo pede, é porque lá no âmago sabe-se que este não é o comportamento adequado a se adotar. Contudo, as circunstâncias e o desejo latente o fazem crer que não dá para brigar com o próprio corpo e já cansado de abafar o grito e tentar controlar o que não consegue controlar, sabe-se lá porque, a saída é aceitar e assumir o que é.
     
    O misto de sentimentos confunde, traz agonia, cansa e o que se tem a fazer? Encarar o que vem pela frente e se responsabilizar pela escolha feita. Enfrenta-se, então, com seus prós e contras a condição assumida. Vale ressaltar, mais contras que prós. E alguém pode dizer: ‘Lógico, pois nossa sociedade é hipócrita e covarde!’ Eu respondo: Se foi difícil para o próprio homossexual se aceitar tal como é, tendo que solucionar conflitos internos – no mínimo – enfrentando preocupação com a família, opinião de amigos, parentes, imagine para um heterossexual que não teve qualquer conflito com orientação sexual? Não pode ao menos sentir estranheza no fato de duas pessoas do mesmo sexo se relacionarem afetuosamente?
     
    Assumir abertamente sua opção sexual, entendo eu, como um dos passos mais difíceis, porque já não é mais você com suas próprias questões, mas a reprovação agora vem daqueles – justamente – de quem se espera apoio e amparo: família, amigos, pessoas que se admira. Sem contar a sociedade que se opõe, mesmo com toda modernidade que se quer pregar. Alguns poucos são os que abraçam e entendem.
     
     Neste momento, há um grande ‘boom’ na causa gay. Casam ou não casam? Não é esse o ‘direito’ que tanto perseguem – pelo menos nos últimos tempos? Depois que casarem, será que vão lutar para que aqueles que se opuseram, os amem e os aceitem de braços abertos com seus defeitos e qualidades?
     
    Queridos, não se enganem. O único que os aceitará dessa forma é Deus! Mesmo nossos pais, por vezes, se enchem. Não nos agüentam e torcem para que tomemos tão logo um rumo em nossas vidas e sigamos em frente sem que seja necessária a dura responsabilidade não só do impulso como da supervisão de que caminho vamos tomar na longa estrada da vida.
     
    Acredito ser muito inocente aceitar que, na verdade, é apenas isto que se quer.  É tão difícil se aceitarem e obterem um retorno da sociedade que querem através da legalização do casamento entre homossexuais, serem aceitos.
     
     Acreditam, ingenuamente, que a legalização corresponderá a automática aceitação da sociedade e o nascimento de uma linda história de amor e cumplicidade entre homossexuais e os que defendem a célula mater tradicional.
     
    Contrariamente, se forem pelo lado do famoso bordão ‘vocês vão ter que me engolir’, lamento, mas a estatística de violência contra a classe vai aumentar.  E desde já declaro que sou totalmente contra os que praticam esse ato infame de ignorância e covardia.  Mas aproveito também, para indagar por que trazem como argumento a violência contra o homossexual para a legalização do casamento homoafetivo?
     
     Estranho hastearem a bandeira da consagração da luta pelos seus direitos que – segundo alguns – são constantemente transgredidos, se em praticamente todos os meios de comunicação o tema é debatido abertamente e a mídia, inclusive, tem investido maciçamente no assunto e buscado incutir na nossa mente como natural e incorporar a nossa realidade, dizendo-se comum.
     
     Finalmente – espero não tê-los enfadado – não sou contra o homossexual. Respeito. Porém, não concordo com a prática do homossexualismo. Não entendo como normal e não encaro com naturalidade. Todavia, sei perfeitamente que não é prática recente. É jurássico!
     
    Acredito nas figuras do homem e da mulher como um casal. Duas pessoas do mesmo sexo não são casal, mas um par.
     
    Apenas como título de atenção para encerramento, a salvaguarda dos direitos do homossexual jamais será completa se for encarada como minoria discriminada e defendida tão somente por ser homossexual, mas a causa deveria ser imbuída do elemento substancial de ser complexamente um ser humano. E para isso não precisa de bandeira, a Constituição Federal e todo o ordenamento jurídico brasileiro são apoiados no princípio da dignidade humana. 

                                                            Fernanda Barbosa
                  Blog - "Buscando, Aprendendo e Crescendo" 

    Deputado americano pede para líderes religiosos falarem sobre a Igreja Perseguida ao redor do mundo




    O Deputado Frank Wolf, um dos líderes do Congresso sobre Liberdade Religiosa e Direitos Humanos pede aos líderes religiosos do Ocidente que usem suas influências para fazer conhecidas as centenas de perseguições de cristãos no mundo todo. Ele enviou uma carta para 300 líderes protestantes e católicos descrevendo a situação global dos cristãos que estão recebendo toda a sorte de privações dos governos locais e ainda aos poucos sendo dizimados; ele deseja reintroduzir um projeto de lei para criar uma posição de enviado especial do Departamento de Estado que defende as minorias religiosas no Oriente Médio, Sul e Ásia Central, ele recebeu grande apoio na Câmara mas foi bloqueado pelo Senado.


    Na carta, Wolf citado pastor luterano alemão Dietrich Bonhoeffer, um clérigo influente executado por seus esforços na resistência nazista durante a Segunda Guerra Mundial, que disse a famosa frase: "Silêncio em face do mal é o mal em si. Isso sem falar, é falar . Não agir é agir. "

    Ele descreveu uma história do livro "Quando uma nação se esquece de Deus", de autoria de um cristão alemão, que contou como um trem cheio de judeus ia para campos de extermínio, e o caminho usado era atrás da sua igreja durante o Holocausto.
    "Seus gritos atormentadavam todos nós", o autor escreveu ", mas ... o que alguém poderia fazer para parar com isso?"


    De acordo com o livro:


    "Nós sabíamos bem o tempo que o trem estava chegando e quando ouvimos o apito tocar era a hora que começávamos a cantar hinos. Até o momento que o trem passava por nossa igreja, estavamos cantando no topo de nossas vozes. Se ouvíamos os gritos, cantávamos mais alto e logo não ouvimos mais nenhum grito.




    "Anos se passaram e não se fala mais nisso Mas eu ainda ouço o apito do trem em meu sono; que Deus me perdoe,.. Perdoar todos nós que nos chamamos cristãos, mas não fizemos nada para intervir."

    Wolf ainda descreveu a grande diminuição na população de cristãos no Iraque e no Egito nos últimos anos - uma tendência preocupante que espelha o destino da comunidade judaica nesses mesmos países.

    "Durante o período de algumas décadas, no Oriente Médio, com a exceção de Israel, foi praticamente esvaziado de judeus", escreveu ele, acrescentando que os cristãos na mesma região está em uma trajetória idêntica.
    "E, no entanto, o silêncio de muitos no Ocidente é ensurdecedor. Essas histórias recebem pouca atenção na mídia, e talvez mais surpreendente, são raramente falado de nossos púlpitos".

    Wolf declarou que muito mais deve ser feito para dar voz aos sem vozes: "[Shabbaz] Bhatti não pode mais falar, O bispo chinês sob prisão domiciliar não pode falar, o crente norte-coreano escravizados no gulag não pode falar, a freira iraquiana...
    temendo por sua vida não pode falar ", escreveu ele.

    "Você pode, como um líder na Igreja, ajudar?" , perguntou ele.
    "Você que está magoado por esses relatos de perseguição vai usar sua esfera de influência para aumentar a visibilidade da questão -? Seja por meio de um sermão, escrito ou entrevista mídia?

    "Não fazer nada não é simplesmente uma opção," Wolf concluiu.

      O texto integral da carta está abaixo.

    Caro amigo,
    Os cristãos em todo o mundo acaba de celebrar o nascimento de Jesus. Para aqueles de nós que vivem no Ocidente, esta foi uma época festiva marcada por cultos, troca de presentes e tempo com a família e amigos.
    Mas para os nossos irmãos do Oriente Médio, o medo da perseguição e da violência pura e simples ou até mesmo a morte uma longa sombra escura sobre o feriado de Natal.

    Eclesiastes 4:1 diz: "Eu vi as lágrimas dos oprimidos, e eles não têm consolador;. Poder estava do lado do opressor" Como você bem sabe, a opressão marcou a igreja desde o seu nascimento. Considere as palavras de refrigeração historiador romano Tácito sobre a igreja primitiva:

    "Além de ser condenado à morte que foram feitos para servir como objetos de diversão, eles se vestiam com peles de animais e dilacerado por cães até a morte, outros foram crucificados, outros incendiado para servir para iluminar a noite, quando o dia não ..
    . "
    Todos os dias, em todo o mundo, os homens e mulheres de fé são presos, espancados, presos, torturados e até mortos. O livro de Hebreus nos exorta a "lembrar dos presos, como se fosse seus companheiros de prisão, e aqueles que são maltratados como se vocês estivessem sofrendo." Que sofremos com os nossos irmãos?
    Já nós, no Ocidente deixou de ser sal e luz?
    Considere que um êxodo histórico dos cristãos do Oriente Médio está em andamento - um êxodo alimentada por perseguição.
    Pastor luterano alemão Dietrich Bonhoeffer, diante da tirania e horror do nazismo, disse a famosa frase: "Silêncio em face do mal é o mal em si. Isso sem falar, é falar. Não agir é agir."
    E isso é precisamente o que muitos na Igreja fez, ou deixou de fazer, como Hitler desencadeou seus planos assassinos.
    Eu encontrei recentemente esta carta assombrada de um cristão alemão no livro "Quando uma nação se esquece de Deus":


    "Eu vivi na Alemanha durante o Holocausto nazista., Eu me considerava um cristão. Nós ouvimos histórias de que estava acontecendo com os judeus, mas tentamos nos distanciar, porque, o que alguém poderia fazer para parar com isso?
    A ferrovia corria atrás de nossa pequena igreja e cada domingo de manhã ouvíamos o apito na distância e, em seguida, as rodas que vem ao longo dos trilhos. Nós ficávamos perturbados quando ouvíamos os gritos vindos do trem quando ele passou.
    Percebemos que ele estava carregando judeus como gado nos carros!
    Semana após semana, o apito iria explodir. Nós temiamos ouvir o som dessas rodas, porque sabíamos que iríamos ouvir os gritos da rota judeus para um campo de extermínio.
    Seus gritos nos atormentavam.
    Nós sabíamos muito bem o tempo que o trem estava chegando e quando ouvimos o apito tocar começávamos a cantar hinos. No momento em que o trem passou por nossa igreja, estávamos cantando no topo de nossas vozes.
    Se ouvíamos os gritos, cantávamos mais alto e logo não ouvimos mais nenhum grito.
    Anos se passaram e não se fala mais nisso. Mas eu ainda ouço o apito do trem em meu sono.
    Deus me perdoe, perdoe todos nós que nos chamamos cristãos, mas não fez nada para intervir ".




    Os paralelos são imperfeitos, mas os sentimentos são os mesmos. Será que o nosso conforto levou a complacência? Pode a igreja no Ocidente ser galvanizado para agir?
      A frase que não foi ouvida fora do mundo de maioria muçulmana é "Primeiro as pessoas do sábado, então o povo de domingo." As "pessoas de sábado" são, naturalmente, os judeus. Suas comunidades, uma vez vibrantes em países de toda a região estão agora dizimada. Em 1948, havia cerca de 150 mil judeus no Iraque, hoje menos de 10 permanecem. No Egito, havia uma vez como muitos como 80 mil judeus, agora a menos de 100 permanecem.

     
    Parece um destino semelhante a das antigas comunidades cristãs nessas mesmas terras. População cristã do Iraque caiu de quantos 1,4 milhão em 2003 para entre 500.000 e 700.000 hoje. Igrejas têm sido alvo, os crentes seqüestrados para resgate e as famílias ameaçadas com violência, se ficar.
    Em outubro de 2010, extremistas islâmicos cerco em Nossa Senhora da Salvação Igreja Católica em Bagdá, matando mais de 50 reféns e policiais e ferindo dezenas de outras.
     
    No Egito, com a ascensão da Irmandade Muçulmana, os cristãos coptas, numeravam cerca de 8 a 10 milhões, estão deixando em massa.
    Ironicamente, cerca de 2.000 anos atrás, a Sagrada Família se refugiou na mesma terra dos objetivos assassinas do rei Herodes.
     
    No meio do derramamento de sangue na Síria a população cristã é particularmente vulnerável.
    Uma notícia recente ABC relatou: "Eles [os cristãos] têm medo de que a Síria vai se tornar outro Iraque, com os cristãos apanhados no fogo cruzado entre grupos islâmicos rivais."
     
    Durante o período de algumas décadas, no Oriente Médio, com a exceção de Israel, foi praticamente esvaziada de judeus. A mesma coisa vai acontecer com a comunidade cristã, se a trajetória for da mesma maneira. E, no entanto, o silêncio de muitos no Ocidente é ensurdecedor.
    Essas histórias recebem pouca atenção na mídia, e talvez mais surpreendente, são raramente falado de nossos púlpitos.
     
    Um estudo recente sobre a perseguição cristã liberado pela britânica Civitas explicava a ambivalência aparente da mídia desta forma: "Partes da mídia tem sido influenciado pelo erro lógico que equivale críticas de muçulmanos com o racismo, e, portanto, errado por definição.
    Isso tem mais distraído a atenção para longe da perseguição dos cristãos, ajudando a cimentar a idéia surpreendentemente difundida de que o cristianismo é uma "fé ocidental".
     
    E, no entanto, nós, a igreja deveria conhecer melhor. O Oriente Médio é o berço do cristandade. Considere Iraque: com exceção de Israel, a Bíblia contém mais referências para as cidades, regiões e nações do antigo Iraque do que qualquer outro país. O patriarca Abraão veio de uma cidade do Iraque chamado Ur. Noiva de Isaac, Rebeca, veio do noroeste do Iraque. Jacob passou 20 anos no Iraque e seus filhos (as 12 tribos de Israel) nasceu no noroeste do Iraque. Um reavivamento espiritual notável como dito no livro de Jonas ocorreu em Nínive. Os eventos do livro de Ester ocorreu no Iraque, como fez o relato de Daniel na Cova dos Leões.
    Além disso, muitos dos cristãos do Iraque ainda falam o aramaico a língua de Jesus.
     
    Então, como vamos explicar a indiferença da Igreja? É politicamente correto? Falta de consciência?
    Que tragédia deve acontecer esta comunidade antes que são impelidos a agir?
     
    A perseguição que assola o Oriente Médio não é exceção. Os cristãos são alvo em todo o mundo, em países como China, Vietnã e Paquistão. Segundo o estudo Civitas, "Mais cristãos são presos na China do que em qualquer outro país do mundo."
    Se a comunidade de fé no Ocidente não está envolvida, somos surpreendidos quando os líderes do governo fecham os olhos para questões de liberdade religiosa?
     
    Considere o seguinte: a legislação bipartidária para criar uma posição de enviado especial do Departamento de Estado acusado de advogar em favor das minorias religiosas no Oriente Médio e Sul da Ásia Central aprovou por grande maioria da Câmara dos Deputados há mais de um ano e meio atrás.
    Mas permaneceu parado no Senado como resultado da oposição Departamento de Estado e da recusa do presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, e secretário presuntivo de Estado, John Kerry, até mesmo para realizar uma audiência sobre a legislação.
     
    Eu tive o privilégio de conhecer um indivíduo que corajosamente decidiu seguir Jesus, apesar das circunstâncias incrivelmente hostis. Shabbaz Bhatti, ministro federal do Paquistão para assuntos das minorias, e o único membro cristão do gabinete e um crítico das leis de blasfêmia do seu país, era um desses homens. Em 2 de março 2011, ele foi assassinado, seu carro crivado de balas, deixando a casa de sua mãe para o trabalho.
    Em um vídeo filmado pouco antes de seu assassinato (acessível no meu site em http://wolf.house.gov/bhattivideo), Bhatti aparenta a perceber que o caminho que ele escolheu será pago com um alto preço.
      Quando perguntado sobre as ameaças contra a sua vida, ele disse, sem malícia ou medo: "Eu creio em Jesus Cristo que deu sua própria vida por nós. Eu sei o que é o sentido [da cruz]. E eu estou seguindo a cruz . E eu estou pronto para morrer por uma causa. " E assim ele fez.

     
    O livro de Provérbios nos diz: "Fala-se para aqueles que não podem falar por si ..." Bhatti não pode mais falar. O bispo chinês sob prisão domiciliar não pode falar. O norte-coreano crente escravizados no gulag não pode falar.
    A freira iraquiana temendo por sua vida não pode falar.
     
    Será que vamos ser a sua voz?
    Martin Luther King Jr. disse a famosa frase: "No final, nós nos lembraremos não das palavras dos nossos inimigos, mas o silêncio dos nossos amigos." Não somos seus amigos?
      A Igreja no mundo está sob ataque. Nossa resposta não deve ser simplesmente cantar mais alto, assim, abafando os gritos de socorro de nossos irmãos e irmãs. Pelo contrário, devemos falar, advogado e agir em seu nome.

     
    Da minha perspectiva, a Igreja no Ocidente, especialmente nos Estados Unidos, está a falhar neste aspecto. Você pode, como um líder na Igreja, ajudar? Você está magoado por esses relatos de perseguição? Você tem ideias sobre a melhor forma de responder? Você vai usar a sua esfera de influência para elevar o perfil da questão - seja através de um sermão escrito, ou entrevista de mídia?
    Congratulo-me com os seus pensamentos e convidar o seu empenho nesta tarefa monumental.

     

    Na próxima semana, quando o Congresso se reunir novamente, eu pretendo reintroduzir a legislação enviado especial e imprensa para a passagem nas duas casas do Congresso. Não tenho a pretensão de pensar que um enviado especial irá, sozinho, resolver o problema, mas certamente não pode ferir a ter uma pessoa de alto nível dentro da burocracia do Departamento de Estado, que é voltada exclusivamente para a proteção e preservação destas antigas comunidades. Além disso, para não fazer nada simplesmente não é uma opção.
      Nós, no Ocidente devemos falar em nome da Igreja perseguida em todo o mundo.

    Muitas felicidades.


     
    Atenciosamente,Frank R. WolfMembro do Congresso



    © 2013, Assírio agência internacional de notícias. Todos os direitos reservados.


                                           Ezequiel Domingues dos Santos