sábado, 9 de novembro de 2013

CUBA ANTES DA REVOLUÇÃO COMUNISTA



O país mais amado por muitos brasileiros, é justamente aquele ao qual ninguém pretende ou sonha visitar; o chefe de estado mais querido é justamente um sanguinário e ditador. Por falta de instrução e ignorância histórica, muitos jovens influenciados ideologicamente acabam por lutar por ideias que não lhes pertencem, causas que não suas e por motivos que desconhecem.

Muitos têm uma distorcida ideia do que seja a Cuba; devido ao radicalismo do governo socialista brasileiro, não se encontra quase nenhum livro, jornal ou qualquer outra meio de comunicação que explica a real situação do país caribenho e as consequências de um regime político nefasto e um péssimo sistema econômico.

Como quase todos os movimentos históricos chamados de revolução foram marcados pelas maiores degradações e misérias humanas, com Cuba não foi diferente. Veja como era essa ilha antes do regime comunista.

  • A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba foi em 1829.

  • A primeira nação da América Latina e a terceira no mundo (atrás da Inglaterra e dos EUA), a ter uma ferrovia foi Cuba, em 1837.

  • Foi um cubano que primeiro aplicou anestesia com éter na América Latina em 1847.

  • A primeira demonstração, a nível mundial, de uma indústria movida a eletricidade foi em Havana, em 1877.

  • Em 1881, foi um médico cubano, Carlos J. Finlay, que descobriu o agente transmissor da febre amarela e definiu sua prevenção e tratamento.

  • O primeiro sistema elétrico de iluminação em toda a América Latina (incluindo Espanha) foi instalado em Cuba, em 1889.

  • Entre 1825 e 1897, entre 60 e 75% de toda a renda bruta que a Espanha recebeu do exterior vieram de Cuba.

  • Antes do final do Século XVIII Cuba aboliu as touradas por considerá-las "impopulares, sanguinárias e abusivas com os animais".

  • O primeiro bonde que circulou na América Latina foi em Havana em 1900.

  • Também em 1900, antes de qualquer outro país na América Latina foi em Havana que chegou o primeiro automóvel.

  • A primeira cidade do mundo a ter telefonia com ligação direta (sem necessidade de telefonista) foi em Havana, em 1906.

  • Em 1907, estreou em Havana o primeiro aparelho de Raios-X em toda a América Latina.

  • Em 19 maio de 1913 quem primeiro realizou um vôo em toda a América Latina foram os cubanos Agustin Parla e Rosillo Domingo, entre Cuba e Key West, que durou uma hora e quarenta minutos.

  • O primeiro país da América Latina a conceder o divórcio a casais em conflito foi Cuba, em 1918.

  • O primeiro latino-americano a ganhar um campeonato mundial de xadrez foi o cubano José Raúl Capablanca, que, por sua vez, foi o primeiro campeão mundial de xadrez nascido em um país subdesenvolvido. Ele venceu todos os campeonatos mundiais de 1921-1927.

  • Em 1922, Cuba foi o segundo país no mundo a abrir uma estação de rádio e o primeiro país do mundo a transmitir um concerto de música e apresentar uma notícia pelo rádio.

  • A primeira locutora de rádio do mundo foi uma cubana: Esther Perea de la Torre. Em 1928, Cuba tinha e 61 estações de rádio, 43 deles em Havana, ocupando o quarto lugar no mundo, perdendo apenas para os EUA, Canadá e União Soviética. Cuba foi o primeiro no mundo em número de estações por população e área territorial.

  • Em 1937, Cuba decretou pela primeira vez na América Latina, a jornada de trabalho de 8 horas, o salário mínimo e a autonomia universitária.

  • Em 1940, Cuba foi o primeiro país da América Latina a ter um presidente da raça negra, eleita por sufrágio universal, por maioria absoluta, quando a maioria da população era branca. Ela se adiantou em 68 anos aos Estados Unidos.

  • Em 1940, Cuba adotou a mais avançada Constituição de todas as Constituições do mundo. Na América Latina foi o primeiro país a conceder o direito de voto às mulheres, igualdade de direitos entre os sexos e raças, bem como o direito das mulheres trabalharem.

  • O movimento feminista na América Latina apareceu pela primeira vez no final dos anos trinta em Cuba. Ela se antecipou à Espanha em 36 anos, que só vai conceder às mulheres espanholas o direito de voto, o posse de seus filhos, bem como poder tirar passaporte ou ter o direito de abrir uma conta bancária sem autorização do marido, o que só ocorreu em 1976.

  • Em 1942, um cubano se torna o primeiro diretor musical latino-americana de uma produção cinematográfica mundial e também o primeiro a receber indicação para o Oscar norte-americano. Seu nome: Ernesto Lecuona.

  • O segundo país do mundo a emitir uma transmissão pela TV foi Cuba em 1950. As maiores estrelas de toda a América, que não tinham chance em seus países, foram para Havana para atuarem nos seus canais de televisão.

  • O primeiro hotel a ter ar condicionado em todo o mundo foi construído em Havana: o Hotel Riviera em 1951.

  • O primeiro prédio construído em concreto armado em todo o mundo ficava em Havana: O Focsa, em 1952.

  • Em 1954, Cuba tem uma cabeça de gado por pessoa. O país ocupava a terceira posição na América Latina (depois de Argentina e Uruguai) no consumo de carne per capita.

  • Em 1955, Cuba é o segundo país na América Latina com a menor taxa de mortalidade infantil (33,4 por mil nascimentos).

  • Em 1956, a ONU reconheceu Cuba como o segundo país na América Latina com as menores taxas de analfabetismo (apenas 23,6%). As taxas do Haiti era de 90%; e Espanha, El Salvador, Bolívia, Venezuela, Brasil, Peru, Guatemala e República Dominicana 50%.

  • Em 1957, a ONU reconheceu Cuba como o melhor país da América Latina em número de médicos per capita (1 por 957 habitantes);, com o maior percentual de casas com energia elétrica, depois Uruguai; e com o maior número de calorias (2870) ingeridas per capita.

  • Em 1958, Cuba é o segundo país do mundo a emitir uma transmissão de televisão a cores.

  • Em 1958, Cuba é o país da América Latina com maior número de automóveis (160.000, um para cada 38 habitantes). Era quem mais possuía eletrodomésticos. O país com o maior número de quilômetros de ferrovias por km2 e o segundo no número total de aparelhos de rádio.

  • Ao longo dos anos cinqüenta, Cuba detinha o segundo e terceiro lugar em internações per capita na América Latina, à frente da Itália e mais que o dobro da Espanha.

  • Em 1958, apesar da sua pequena extensão e possuindo apenas 6,5 milhões de habitantes, Cuba era 29ª economia do mundo.


  • Em 1959, Havana era a cidade do mundo com o maior número de salas de cinema: (358) batendo Nova York e Paris, que ficaram em segundo lugar e terceiro, respectivamente.

Após a Revolução Cuba virou uma ilha-favela, o povo faminto e abaixo da linha da pobreza, alheio a todos os acontecimentos mundiais porque não há liberdade de comunicação nem de expressão... muito menos liberdade individual; até pra sair do país não há liberdade e os que entram, são constantemente vigiados.


                                                                cinco décadas de atraso

Isso é só o que sabemos de forma superficial; imagine o grau de desespero das pessoas que preferem enfrentar tubarões pra fugir só com a roupa do corpo e com futuro incerto.

O que dizer de um país onde, pra se ter uma renda melhor é necessário se prostituir, onde tudo é racionado (até alimentos),  as pessoas com salários que sustentam nem uma pessoa por dois dias? Onde não se consegue facilmente coisas básicas como papel higiênico, toalhas, leite, desodorante etc?

Pode se explicar o porquê de tanta pobreza, sendo que, Cuba tem relações comerciais com 115 países e que recebe créditos do banco da União Europeia? E mesmo assim assim os cubanos vivem sem renda e o país não economia girando saudavelmente porque o povo não tem dinheiro e nem emprego?

Hoje, as indústrias cubanas são atrasadas, sem capacidades de competições (muito menos internacionalmente), são improdutivas com total intervenção do Estado e sem liberdade alguma de inovações.

Pior do um país nessa situação, é um país continental que o idolatra considerando como modelo de regime, envia dinheiro público de formas estratégicas para sustentar o partido único e tem a leviandade de, na cara da população, trazer médicos que não passam de agentes estatais para outros fins que não a saúde pública.

Nota-se que não houve nada de bom que aconteceu após a Revolução; a experiência histórica fala por si mesma, somente os néscios e autoflageladores a desejam.



Fontes: http://verdade-messias.blogspot.com.br/2013/09/cuba-como-era-antes-da-revolucao.html e Olavo de Carvalho.

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

6 comentários:

  1. Bom dia
    Um texto com muito valor. Só conheço de Cuba aquilo que nos vão dando. Pobreza e muita miséria humana. Desconhecia uma história cultural tão rica e com tanto progresso.
    O comunismo descambou da doutrina básica e elementar, mas também já se provou que essa ideologia não serve as populações. Existem os Gorilas que comem tudo e controlam tudo. O povo é apenas um servo pobre e sem nada...

    ResponderExcluir
  2. Caro Ezequiel, foi com grande que encontrei no seu blog a maioria dos valores com os quais me identifico, como o cristianismo, criacionismo e antipetismo, além dos links com os mais elevados colunistas, que nos permitem um contraponto no arrastão das opiniões político-econômico-sociais no Brasil. Outra coisa: a trilha musical é celestial? rs

    ResponderExcluir
  3. e tem muito maluco defendendo Cuba depois do Fidel,estão intoxicados com essas mentiras comunistas que até ficam com raiva se mostrar algo desse tipo a eles,acreditam que não existia Cuba antes de 1959 e esquecem dos 200 mil mortos e milhares de deportados e refugiados,acreditam em cada mentira que emana da ilha carcere como se fosse uma verdade divina,está cada vez mais difícil viver num pais que está virando um hospício,pois cada vez mais não se contentam com sua mera maluquice e querem mandar na vida dos outros e estão se multiplicando,temo as vezes que o Brasil tenha esta mesma sina.

    ResponderExcluir
  4. Há algumas coisas que não foram relatadas neste texto, como em 1959, o país tinha uma das maiores rendas per capita do Caribe, mas a estatística escondia uma brutal desigualdade. Enquanto alguns poucos se beneficiavam da exportação de açúcar, a maioria da população vivia na penúria, sem acesso a serviços públicos e enfrentando altas taxas de desemprego. Por mais que possa se dizer que todo mundo é pobre em Cuba esse é o ponto principal a quase nula desigualdade! Deixando também claro que Cuba tem uma das melhores saúde e educação do mundo, e que em Cuba não há mendigos nem crianças de rua. O ponto alto não é o mais rico e mais desenvolvido dentro de uma população, mas sim como a grande massa se aplica nesse contexto...

    ResponderExcluir
  5. Informações sem valor, porque postadas sem citação das fontes...

    ResponderExcluir
  6. Informações sem valor, porque postadas sem citação das fontes...

    ResponderExcluir