domingo, 17 de novembro de 2013

CRISTÃOS EM EXTINÇÃO NO ORIENTE MÉDIO


A baronesa Warsi - paquistanesa, nascida na Inglaterra, muçulmana e representante do Primeiro- Ministro David Cameron disse que perseguição contra cristãos se tornou uma crise global. Ela advertiu que em algumas partes do mundo há o risco de extinção de cristãos: "O que estamos vendo, infelizmente, é uma sensação de punição coletiva, que é dispensado por grupos locais - ás vezes por estados, ás vezes por extremistas.[Os cristãos] são vistos como alvos legítimos... , e este conceito de punição coletiva, e por serem vistos como agentes ocidentais ou de outros regimes é errado; precisamos levantar esta questão nos países onde isto está acontecendo."

A britânica discursou em Georgetown e disse que os líderes de todas a religiões e os governos do Ocidente pode lutar contra o "novo sectarismo" de quatro maneiras:


  • Enfatizando os momentos da história em que as pessoas de uma fé veio em auxílio das pessoas de uma fé diferente: Como muçulmanos que abrigaram judeus durante o Holocausto, e os judeus que ajudaram muçulmanos bósnios reconstruir suas vidas após a Guerra dos Blacãs.
  • Insistindo que "a presença de outras religiões não vem para denegria a sua própria:" Enviei minha filha a uma escola do convento cristão e isso não fez dela menos muçulmana. Pra mim, a rejeição de outra fé apenas revela a fraqueza em sua própria.
  • Promover a ligação entre a liberdade religiosa e a saúde econômica: "Perseguição é ruim para os negócios" disse ela. Pesquisas comprovam que há grande ligação entre a liberdade religiosa e uma sociedade florescente.
  • Encorajar os líderes das grandes religiões a defender os outros: "Nossa resposta para a crise mundial não deve ser sectária, não deve ser cristão defendo somente os cristãos, muçulmanos defendendo somente muçulmanos e etc.
Mesmo sendo muçulmana, essa política parece ter bom senso e sobriedade para relatar e reconhecer bem os fatos sobre a feroz perseguição cristã no Oriente Médio. Eu particularmente rejeito o ecumenismo e o pluralismo forçado reivindicado por ela (no texto original), mas muitas dessas ideias de tolerância e o rechaço do extremismo com certeza são bem-vindos.

O problema é que pode ser desinteressante a medida incorreta da gravidade dos casos e das comparações... Não se deve comparar nem de longe o genocídio de cristãos com algum tipo de perseguição que os muçulmanos podem estar sofrendo. Não vemos decapitações de muçulmanos, não vemos 105.000 muçulmanos sendo martirizados por ano e nem a banalização de sua fé - muito pelo contrário... Todo o apelo de pacificação e tolerância é bem vinda; mas, que os números sejam ditos, que haja punições e que as informações não sejam manipuladas.

No entanto, as denúncias e alertas sobre essas perseguições vindas de uma adepta do islã já é um bom sinal.

Fonte em inglês: WORLD WATCH MONITOR

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

2 comentários:

  1. Que isso... De nada! ;D

    Ótima segunda, Ezequiel!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  2. A Paz do Senhor irmão Ezequiel. Sempre com ótimos textos e abordagens.
    Orando por ti e que Deus ajude o irmão em seu Ministério.
    do amigo em Cristo
    Pastor Ismael - Blog Aqui eu Aprendi!

    ResponderExcluir