domingo, 4 de agosto de 2013

IRA DA IRMANDADE MUÇULMANA CONTRA OS CRISTÃOS


Após  golpe militar, a mídia egípcia tem relatado muitos e violentos confrontos entre os militares e os radicais do regime deposto de Morsi da Irmandade Muçulmana; porém, o que não está sendo relatado pela mídia é o tratamento brutal que os cristãos coptas¹ estão sofrendo de diversos modos por esses partidários.

A ira da Irmandade Muçulmana aumentou contra os cristãos, porque eles desejam a remoção de Morsi do poder por motivo do aumento das perseguições que incluía ataques terroristas, destruição de igrejas, lobby² anticristã judicial a tal ponto que  muitos coptas fugiram do Egito; semanas atrás um padre copta egípcio foi morto e decapitado no norte do Sinai.

Os cristãos coptas tinham boas razões para desejar a remoção de Morsi do poder; eles estavam muito marginalizados mesmo tendo boa representatividade no país, havia abuso de leis que favoreciam o islã e desfavoreciam os cristãos e era nítido o projeto de instalar a Sharia³ no país.

A perseguição abrangia todos os setores da sociedade egípcia; um relatório foi feito que aponta para 100.000 mortos desde a subida da Irmandade Muçulmana no governo.

Fonte em inglês: WND

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

¹ Palavra em latim que significa egípcios.
² Grupo de pressão política, econômica ou social para influenciar projeto de leis.
³ Lei baseada totalmente no Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário