quinta-feira, 4 de julho de 2013

A DEMOCRACIA VENCE A SHARIA NO EGITO


Ontem (03/07/2013) as Forças Armadas do Egito com boa atuação tiraram Mohammad Morsi e as esperanças da Irmandade Muçulmana na sua intenção de perpetuação no poder. Após um ano de agenda totalitarista religioso, a população começou a ir nas ruas em todo país exigindo a renúncia de Morsi.

Desde que a Irmandade Muçulmana chegou ao poder; no decorrer da primavera árabe, cristãos e minorias que vivem no Egito passaram a sofrer enormes perseguições, principalmente os coptas que tem grande representatividade nesse país, havia mortes, ataques de igrejas e até deserção para outros países (projeto do regime islâmico). A irmandade Muçulmana deseja implantar a Sharia (lei islâmica) em todo o Norte da África, Oriente Médio unanimizando essa comunidade e suplantar a diversidade nessa região do mundo. Antes da entrada desse partido, cristãos, muçulmanos e salafistas viviam pacificamente.

Na tomada estavam o chefe das Forças Armadas Al-Sisi e junto dele estavam vários líderes de diferentes religiões; mostrando assim, que a diversidade e democracia venceu o totalitarismo e o extremismo religioso.

Cabe endossar que os EUA e a Europa não deram qualquer apoio para o povo do Egito, diferentemente do que fizeram para a Irmandade Muçulmana dando rios de dinheiro e armamento para subida ao poder, isso deve ser lembrado pelos observadores sobre quem Obama e a UE favorece. 

Diante de tanta convulsão na terra dos faraós, ainda há esperança para todos que desejam a verdadeira liberdade...liberdade não somente para alguns, mas como diz o slogan da Revolução de 1919 no Egito: "A religião é para Deus, a nação para todos".

Fonte em italiano: ÁSIA NEWS 

EZEQUIEL DOMINGUES DOS SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário