quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Epitáfio dos Mártires – 4


O encaro da morte do pagão e do cristão
 
                                                    catacumba de Calixto
Nas catacumbas de Roma, nessa “grande cidade dos mortos”, há testemunhos silenciosos que resistem ao tempo e deixam suas marcas pra quem quer visitem. Nela a história conta os seus fatos reais, da maneira nua e crua, como nossos irmãos do cristianismo nascente sofreram, morreram ou foram viver debaixo da terra para adorar a Deus.
Mesmo com a vida cheia de privações e sofrimentos, esses servos de Deus encaravam a morte da maneira mais confortante que se possa imaginar. Para o pagão era o término de tudo: dos prazeres, das coisas desejáveis e gloriosas que se conquistam na vida; já para os cristãos era totalmente ao contrário: é o encontro da perfeita alegria, do encontro com o seu Deus, a mudança para a sua verdadeira morada e a vitória sobre as tribulações da vida.


Essa maneira de ver o findar da vida é expressa também nos seus epitáfios o qual revela o terror e desespero do pagão que perde seu ente querido e do encanto e singeleza do cristão que devolveu seu ente querido ao Autor da Vida.

PAGÃO

"CAIUS JULIUS MAXIMUS, 2 ANOS E 5 ME­SES (IDADE).
ó INFORTÚNIO IM­PLACÁVEL, QUE TE DELEITAS EM MORTE CRUEL, PORQUE me FOI MÁXIMO ARRAN­CADO TÃO REPENTINAMENTE, AQUELE QUE ULTIMAMENTE SE RECLINAVA NO MEU COLO? ESTA PE­DRA AGORA MARCA O SEU TÚMULO.
                                                                                      EIS A SUA MÃE !"
                                                                                                  CRISTÃO
         
      petronia, esposa de um diácono, tipo de modéstia. neste lugar dei­to os meus ossos. deixai as vossas lágrimas, caro ma­rido e filhos, e crede que é proibido CHORAR POR UMA QUE VIVE EM DEUS. ENTERRADA NO TER­CEIRO, ANTES DAS NONAS DE OUTUBRO, DURANTE O CONSULA­DO DE FESTO."
                                                                                            PAGÃO

"eu, procópia, levanto as minhas mãos contra deus que me levou inocente
ela viveu vinte anos. proclus eri­giu este."
                                                                       CRISTÃO (fragmento)

"DEUS O DEU... O TI­ROU... BENDITO!... DO SENHOR, QUE VIVEU... ANOS EM PAZ, NO CONSULADO DE..."

                                                                       PAGÃO

"ENQUANTO VIVI, VIVI BEM. MEU DRAMA TERMINOU, BREVE
TERMINARÁ O TEU. ADEUS E APLAUDE-ME."

                                                                    CRISTÃO

"O LUGAR DE FILEMON".
"VIRGÍNIO POUCO TEMPO ESTEVE CONOSCO". "O LUGAR DE SEVUS PRIMA, PAZ SEJA CONTI­GO".
"MARTÍRIA, EM PAZ ZÓTICO AQUI POSTO A DORMIR".
"O DORMITÓRIO DE ELPES GEMELA DORME EM PAZ".


                                                  Ezequiel Domingues dos Santos

domingo, 25 de novembro de 2012

As Novelas e a Engenharia Social



Se tem uma coisa que não pode ignorar é que qualquer instrumento de comunicação; seja paga ou livre, não é um mero meio de comunicação, entretenimento, lazer ou cultura; mas sim, um instrumento tendenciosamente ideológico manipulacional da opinião pública e propagação de novas vertentes de comportamento visando um novo sistema de governo e de população.
Dentre esses grandes instrumentos, um dos mais frutíferos são as novelas que com sua capacidade alienatória de percepção dos fatos correntes, consegue introduzir em torno de romances que tocam "os corações" e assuntos cotidianos que se "identificam com o público" todo um conceito que pode influenciar uma geração a curtíssimo prazo, e se houver a aderência da classe falante e intelectual os resultados serão mais promissor quanto aos seus ideais. 
Muitos podem perguntar o querem esses escritores de novelas com a propagação de coisas que, aos olhos dos bons costumes, é perverso. A resposta é que tudo, absolutamente tudo que se faz na comunicação de massas obedece a interesses para fins objetivos de engenharia comportamental/social/ideológico; tudo isso fere a liberdade individual de consciências (em sua maioria religiosos conservadores) e leva (implicitamente à força) para uma coletiva aceitação do que é contra a lei natural e divina... em poucas palavras...prepara uma seara madura para a implantação de um sistema de governo sem classes, sem moral, sem conceito espiritual e sem valores tradicionais.
Sabemos que o mundo jaz no Maligno como disse Jesus, e se observamos sob o olhar escatológico, veremos que todos esses processos e transfigurações do comportamento humano coincide com um sistema planetário de civilização; haja vista, que os mesmos conceitos propagados nas novelas brasileiras, são as mesmas dos mundialistas que querem banir tudo o que é de mais sagrado: família, Deus, justiça e autoridades; e assim, erigir uma civilização anticristã como previsto na Sagradas Escrituras.
Eu coloquei três vídeos explicativos desse fenômeno; apesar da convicção religiosa de cada um, peço aos que veêm o vídeo observe o seu conteúdo e a honestidade deles em expressar o que é verdadeiro e válido para conhecimentos, os vídeos são curtíssimos e dá tempo (para os muitos ocupados) assistirem rapidamente.



                                        Padre Paulo Ricardo falando sobre o ideologia das novelas.



                           O filósofo Olavo de Carvalho falando sobre a manipulação da mídia.


                                 O filósofo Olavo de Carvalho falando sobre a Rede Globo.




              Ezequiel Domingues dos Santos

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A transcendência dos sentidos na alma por meio de um louvor

Viveremos um vida relativamente curta, pois se é curta ou longa depende da maneira como viver ela. Em várias cenas pungentes dela fazemos abstrações de tudo o que vivenciamos e experimentamos pra poder expressar em palavras e passar essa informação a outros, para que não fique no esquecimento as coisas que nos marcaram e que hão de se desvanecer no fim da vida.
Todavia, por mais que temos técnicas de linguagem, simbolismo, retórica e erudição filosófica, haverá inundações de sentidos em nossa alma que não/nunca acharemos palavras para expressar sua substância mais abragente; por isso, muitas coisas que sentimos ficará no mero plano da especulação metafísica; e assim,  guardaremos essa experiência dentro de nós como tesouro cujo mapa foi queimado pra ninguém descobrir o que se passou dentro de nós; deveras é correto dizer que "cada ser humano é um universo de coisas, tanto interna como externamente".
Ao relembrar e escutar o louvor abaixo aconteceu um fato desses. O mínimo que posso expressar para chegar menos longe do que senti ao ouví-la foi a minha pequenez diante da sublimidade do amor de Deus e da importância que Ele dá para nós através da palavra "INIFINITAMENTE MAIS".
Ao ouvir senti uma desproteção diante de um universo sombrio, vazio e infinito....mas, ao mesmo tempo sabia que Deus estava na cadeira de diretor no filme da minha vida cuidando de cada cena e detalhe que faz da vida uma história única e emocionante. 
Sentindo tudo isso, e sem conseguir me entender, vejo que o "infinitamente mais" desse louvor transcende as capacidades de viver a totalidade do supremo Bem nessa existência, ao passo que, é necessário uma eternidade após a vida pra poder vivenciá-La.
Escrevendo isso, novamente percebo que é impossível mergulhar na nossa interiorização e expressar corretamente os lampejos de nossa alma, de modo que, o que eu expressei acima nem chegou perto da maravilha que essa música produziu em mim.




                                           Ezequiel Domingues dos Santos

domingo, 11 de novembro de 2012

70.000 COREANOS ESTÃO PRESOS POR AMOR A JESUS CRISTO

70 mil cristãos presos na Coreia do Norte

País intensifica perseguição sobre fiéis que continuam exercendo a fe em Jesus Cristo


A Coreia do Norte, desde que o ditador Kim Jong II morreu, em 2011, e seu filho Kim Jong Un (foto acima) assumiu o posto de principal governante, vinha ganhando alguma esperança com a sutil abertura política e a suspensão de antigas restrições, como o consumo de alimentos tradicionais da cultura ocidental (pizza e batata frita) e o uso de telefones celulares.
Kim Jong Un novo lider da Coreia do Norte
Porém, o que se continua presenciando no país são as ferozes perseguições, principalmente aos fiéis cristãos. Apesar do discurso de tolerância do novo dirigente norte-coreano, nenhuma melhoria foi notada na condição da igreja cristã perseguida.
Cristão presos

Segundo Ryan Morgan, analista do International Christian Concern, o relatório da Comissão dos Estados Unidos sobre “Liberdade Religiosa Internacional” apontou que o regime norte-coreano está cada vez mais considerando as religiões como “ameaças potenciais à segurança do país”.


Igreja perseguida
De acordo com o analista, um cristão fiel e toda sua família podem ir para a prisão apenas por possuir uma Bíblia, fato que é considerado crime na Coreia do Norte. Ele ainda afirma que o regime do país mantém mais de 70 mil cristãos aprisionados em campos de concentração.
As atitudes tomadas pelo governante ditador da Coreia do Norte e por quem segue as suas ordens vai totalmente de encontro aos preceitos de fé da igreja cristã e aos ensinamentos advindos da Palavra de Deus na Bíblia.
Monumento que deve ser adorado Kim Jong II
Ser cristão hoje, em alguns lugares, é tão difícil quanto na época dos apóstolos, quando eles eram perseguidos e martirizados por causa de sua fé no Senhor Jesus. A Coreia no Norte, ainda segundo o relatório norte-americano, oferece recompensas para quem fornece informações que leve a cristãos que exerçam sua fé e estejam envolvidos na distribuição da Bíblia.

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."  (João 16 : 33)

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Santo Anselmo e a existência de Deus


Um debate que  ocorre a séculos nos círculos acadêmicos, intelectuais, filosóficos é sobre a existência de Deus, não da maneira como hoje, no qual o ativismo ateu, quer, de toda forma e batendo o pé no chão, negar a existência de Deus e forçar-nos a aderí-los, mas, simplesmente, provar de maneira lógica, racional e por metodologias honestas e desapaixonadas para que o assunto “transcendente” não fique apenas no campo da especulação, mas, de provas cabais.
A análise do, assim conhecido, Santo Anselmo ganhou grande prestígio no tempo da escolástica com sua lógica sendo reconhecido até por ateus modernos (não reconhecido para se crer em Deus, mas , para explicar de maneira correta uma proposição), na minha opinião, foi isso que fez brilhar um pouco a imagem desse monge em vista a tantos nomes da teologia durante a história como  Irineu de Lyon, Agostinho de Hipona, Tomás de Aquino etc.
Como cristão protestante, não habituo de usar o título “santo ou são”, mas pelo uso histórico em que se reconhece em todo lugar a pessoa de “Anselmo, o monge do século XI” preferi usar para melhor identificação.


1)               O Argumento. – A razão tem em si mesma a idéia de um ser maior do qual nenhum outro pode ser pensado (id quo maius cogitari non potest). Ora, se tal ser existisse só no pensamento, então não seria o máximo, porque nesse caso poderíamos pensar um maior, a saber, o que existisse não só no pensamento, mas também na realidade. Por onde, a idéia de um ser máximo exige uma existência não só lógica, mas também antológica.

2)          Crítica e contracrítica. – Já o monge Gaunilão tinha replicado: não é pelo fato de eu supor idealmente existentes as Ilhas Afortunadas, que elas existem. O mesmo dirá Kant mais tarde: a idéia de uma cousa não implica na sua existência. Mas isso já o sabia também Anselmo: Não é por um pintor conceber uma obra, que ela já existe, dizia ele, por isso, mantinha a sua prova da existência de Deus e respondia, no seu escrito contra Gaunilão, que exemplo das Ilhas Afortunadas não atinge a questão no seu âmago. Pois, a idéia de Deus é um caso único e incomparável, porque pensamos nele como um ser que necessariamente encerra e de toda a eternidade todas as perfeições, ao contrário de uma ilha, que é um ser limitado. E por aí se mostra o nervo da prova.

3)           Momento histórico-genérico da prova. – Está na expressão “ser que encerra em si todas as perfeições”. Não é outra essa idéia senão a ideia de Deus, de Boécio, a de Agostinho e a ideia platônica do bem em si.  Isso resulta ainda mais claro da sua outra obra, o Monologium, onde são desenvolvidas duas provas de Deus tipicamente platônicas: a dos graus de perfeição e da idéia do ser supremo. Anselmo tinha no pensamento a idéia que todo imperfeito supõe o perfeito, anterior, em toda a linha do ser, ao imperfeito. Ora, sendo o imperfeito uma realidade, com maioria de razão o perfeito, do qual o imperfeito não é senão a cópia.

4)        Conceito de verdade. – Se aprofundar melhor o conceito de verdade de Anselmo, então mais claro ficará a sua prova da existência de Deus. Verdade significa para Anselmo a “retidão” das essências, a qual consiste em se conformarem com o seu modelo existente na mente divina. Se a nossa mente descobre na idéia de Deus uma conexão, necessária entre essência e existência, então se nos revela por isso mesmo uma verdade primeira, pois poderemos descobrir na cópia à verdade, por existir a verdade-modelo. Por isso não se pode dizer com exatidão que Anselmo passa ilogicamente do mundo conceptual para o real. Para ele não há nenhum oposição entre o pensamento e o ser, como na filosofia moderna. Era ainda demasiado cedo para ser isso possível. Anselmo está todo penetrado do espírito agostiniano; ora, para este pensador platonizante, a autêntica realidade está na verdade e no bem primeiros, na imagem exemplar e na idéia; e disso vive todo ser  conhecer, de modo que podemos subir para Deus de vários lados.


                                 Ezequiel Domingues dos Santos


Cristão morre em um calabouço na Eritreia

Sexta-feira (2), a Portas Abertas foi informada da morte de um cristão em um acampamento militar da Eritreia. O jovem chamado Adris Ali Mohammed (31), morreu na terça-feira, 30 de outubro, após dois anos de prisão em Aderset. Mohammed, que passou a maior parte de sua sentença em um calabouço sufocante, sofria de malária grave, mas o tratamento médico lhe foi negado
eritrea christian.jpg
  
     O moço era muçulmano, da cidade de Tesenai. Há dois anos, após sua conversão ao cristianismo, tornou-se conhecido pela polícia da Eritreia. Por essa razão, Mohammed foi preso e levado para o acampamento militar Aderset. De acordo com uma fonte confiável, ele suportou forte pressão para desistir de sua fé ao longo do tempo em que permaneceu na prisão.

"Ele sofreu dura punição militar e enfrentou inúmeras ameaças de morte para renunciar sua crença. Mas ele enfrentou a morte com coragem e foi para o seio do seu Salvador, Jesus Cristo, em quem ele estava seguro para a vida eterna. Que a sua alma descanse eternamente!”, declarou o informante, que não pode ser identificado por questões de segurança.

Secretamente, autoridades militares o enterraram fora do acampamento. Não se sabe quantos membros da família ele deixou.
Colaboradores da Portas Abertas estimam que cerca de 100 cristãos estão presos, atualmente, no acampamento militar Aderset, por causa de sua fé. O campo está localizado na parte ocidental da Eritreia.

Pedidos de oração
• Continue orando para que o Senhor proteja os cristãos na Eritreia do sofrimento, desânimo e tristeza.
• Interceda para que muitos muçulmanos venham a experimentar a fé em Cristo, assim como Adris Ali Mohammed.
• Peça a Deus pelo fortalecimento e perseverança da Igreja diante de todas as dificuldades para a pregação do Evangelho no país.