segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O stress de Elias hoje


"Elias teve medo, e correu para salvar sua vida. Quando chegou a Berseba, que pertence a Judá, deixou ali o seu moço." 1ªReis 19:3

Se você é um homem ou mulher emocionalmente vigorosos, independentes e bem respaldados psicologicamente falando, diga-me em que planeta você veio !

 Esse Elias citado no começo é o mesmo que desafiou centenas de profetas de deuses semíticos os quais matou, desafiou centenas de soldados da guarda real com a ajuda da parte de Deus com, simplesmente, fogo do céu! quer mais proteção do que estar ao lado do Altíssimo e com muitos de seus sinais de forma que já ressucitou uma pessoa, não passava fome em tempos de crise, porque, quando não era viúvas, eram corvos trazendo pão que sustentava !

Pode um ser humano com esses “privilégios” sentir medo de algum ser mortal por mais poderoso que seja?

É isso o que eu digo, se ele é ser humano, uma hora ou outra pode fechar todas as janelas de seu intelecto e somente suas emoções tomarem posse da alma fazendo conhecer o terrível e angustiante sentimento que já pairou sobre todos os habitantes da Terra, o medo. Mesmo com poder sobre os fenômenos da natureza, a chuva a seu dispor e tudo mais; se tem um coração que pulsa nele, veias que correm sangue e pele para sentir calafrios, é um candidato fortíssimo para se abater e desanimar diante de situações que não estão favoráveis (mesmo sabendo que Deus está ao seu lado).

Mas para ele sentir medo e desânimo, tinha que ser por uma pessoa só? E por cima de tudo, mulher? (sem machismo)

O medo e a contemplação do fracasso não vem somente na derrota de um grande exército, nem no mais valente dos guerreiros e gigantes, mas tem muito mais poder quando se mostra na aparente fragilidade e artimanha de quem menos se espera, porque não é nem o tombo que te machuca, mas sim, quem te dá ou a maneira que dá esse tombo !

Era necessário deixar o seu moço?

Se tem uma coisa em que devemos ficar cientes, é que o medo não gosta de andar sozinho, com absoluta certeza ela tráz companheiros, e companheiros muito mais fortes do que ela como o isolamento, a insegurança, a depressão, e, em seu último estágio já crônico e numa ânsia psicótica de se livrar desses sentimentos, o desejo de morrer (1ªReis 19:4c). Uma pessoa que se suicida não decidiu deliberadamente tirar sua vida, mas passou por esses caminhos: o desânimo, o medo de passar novas frustrações e o isolamento que alimenta suas desesperanças.

Se um homem que não conheceu a morte (Elias) passou por essas sombras e vacilou, quem dirá nós ! (de sorte que Deus não faz essa acepção), assim como esse profeta hebreu, podemos também nos desesperar e correr de medo das "Jezabeis" que querem arrancar nossas esperanças, que eram iguais a de Elias que era ver um mundo menos corrompido, podemos deixar nossos "moços" e nos trancafiar a sós em nossos quartos não querendo falar com ninguém e muito menos nos relacionar com medo de nos machucar e ter mais desânimo e podemos percorrer o deserto da ansiedade sem orientação e com a vontade de superação a nível zero.

Quando enfrentamos esse período de trevas e passamos por ele, vemos que somos tão humanos e complexos quanto o nosso infinito universo que é lindo porém nebuloso de respostas.
Mas antes de querer se jogar da ponte ou do último andar de um prédio, quando desejar que o caminhão mais pesado passe pra se jogar na frente, se desanimar e tiver medo de encarar o desconhecido campo de batalha; entre em uma caverna... não na caverna do medo e do ostracismo, mas, na caverna da sua interiorização, não para se isolar, mas fugir dos ruídos que atrapalham o seu pensar e que você perceba que pra cada ser humano existe uma luta e vitória específica; não de ouvidos para o terremoto querendo te amedrontar, nem do vento forte que te impede de caminhar, nem do fogo que ao se manifestar revela sua pequenez; mas, para ouvir uma voz calma e suave; aquela mesma que chamou a sua existência, para te dizer : "Vem para fora, e põe-te neste monte..." (1ªReis 19:11) o resto fica com essa voz. 


                                                                                       Ezequiel Domingues dos Santos


3 comentários:

  1. Todos passam por esses momentos. Por mais que tenhamos visto muitos milagres e proezas de Deus, nos dias de angústias em algum momento ficaremos sem rumo. Somos homens, fracos!

    ResponderExcluir
  2. Verdade, concordo com o Erlon, Mas nos dias de angustia devemos fazer como os Salmistas: Orar! As vezes é difícil, mas esse é o único caminho! Irmão meus parabéns pelo blog! Quando puder comentar lá em http://oblogdoheverton.blogspot.com.br/ vai lá! heheh A paz!

    ResponderExcluir
  3. Uma excelente reflexão irmão! O medo faz parte da nossa vida como homens e realmente tem momentos da nossa vida que precisamos nos voltar para dentro de nós mesmos(caverna) com o objetivo de ouvir a Deus!
    Obrigado por seguir o meu blog, tambem estou seguindo o seu.
    Fica na paz!

    ResponderExcluir