sexta-feira, 20 de abril de 2012

Não tenho fé suficiente para ser ateu (parte 2)


Um pouco sobre as descobertas no Mar Morto




Em 1947 um pastor estava procurando uma cabra perdida na região de Qumram a distância de 35km de Jerusalém e ocasionalmente encontra uma caverna com vasos de cerâmica contendo vários pergaminhos, ao que, vendido por certo preço inicia-se um dos maiores descobrimentos do último século.

Os manuscritos de Qumram pertencia a seita judaica chamda de Essênios, que viviam com hábitos rigorosos no deserto a esperança do Messias (caráter de uma seita apocalíptica); a existência desse grupo se dá desde o século II a.C. até o século I d.C. Eles fizeram muitas obras literárias como comentários bíblicos, textos apócrifos, livros de regras e disciplinas entre eles, e também compilaram muitos textos pertencentes a Bíblia Hebraica dando assim, muitíssima credibilidade para os textos do Antigo Testamento da Bíblia Cristã confirmado no cânone sagrado (escrituras divinamente inspiradas).

Antes da descoberta desses rolos, os manuscritos mais antigos das escrituras hebraicas datavam no século IX e X da éra cristã, porém esses, passam da casa dos dois mil anos e ainda por cima, esses rolos revelam que bíblia que usada hoje não sofreu mudanças significativas, só não foi encontrada em Qumram textos pertecentes ao Livro de Ester e de Neemias, mas o que foi achado manteve o mesmo conteúdo e informação revigorando ainda mais a veracidade das Escrituras.

Vejam essas descobertas:
Um manual de disciplina

Um comentário de Habacuque

Um apócrifo de Gênesis

A regra da guerra

30 Hinos de ações de graças

Um rolo de 7 metros escrito em aramaico, o livro de Isaías

Isaías A e B

36 exemplares de Salmos

29 exemplares de Deuteronômios

21 exemplares de Isaías

Na gruta 3 foram achados duas metades de um rolo de cobre que dava instruções sobre como achar tesouros escondidos em 60 ou mais lugares diferentes em Jerusalém e regiões circunvizinhas.

Na gruta 4 acharam um fragmento de Livro de Samuel que é tido como o mais antigo trecho de hebraico bíblico conhecido o qual data do século IV a.C.

Na gruta 5 Foram encontrados alguns livros bíblicos e apócrifos em avanço estado de deterioração.

Na gruta 6 Foram achados fragmentos de rolos estranhamente em maiores quantidades de papiro do que em couro.

Na gruta 11 foi a gruta em que acharam os salmos inclusive um salmo apócrifo de 151.

Também foi encontrado um rolo que continha parte de Levítico e um Targum (paráfrase) aramaico de Jó.

Foram achados também, rolos que continham os Livros dos profetas Joel e Ageu.

Com relíquias como essas que datam centenas de anos antes de Cristo é digno de muito espanto a conservação desses fragmentos e também a harmonia em que esses achados arqueológicos se encontram na Bíblia Sagrada usada pelos cristãos.

Enfim, mesmo que não houvesse qualquer evidência cientìfica, nossa fé sempre terá o respaldo e a perfeição de vários livros sintetizados em um só, a Bíblia Sagrada, que tem se mostrado como uma grande fonte histórica para estudo e implicitamente de muitos ramos da ciência.

                                                    
                                                               Ezequiel Domingues dos Santos
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário