terça-feira, 20 de março de 2012

Juízes- o livro de nossos dias



O livro de juízes contida nas Sagradas Escrituras mostra várias histórias na quase conquistada Terra de Canaã, essas histórias são centradas nos libertadores levantados por Deus para livrá-los dos opressores e invasores que de tempos e tempos perturbavam o povo de Deus.

É interessante a fidelidade histórica do autor hebreu ao mostrar o porquê dessas invasões e opressões e em não ocultar as terríveis barbáries feitas pelo próprio povo; as apostasias e a situação caótica em que se encontravam diante de Deus, motivos pelas quais, o mesmo Senhor que os libertara do Egito também entregara nas mãos de seus inimigos para que reconhecessem suas iniquidades que os afastavam mais de Deus.

Praticamente esse tempo, apesar do Senhor sempre estar no controle dela, era tempo de confusão em todos os cantos onde as pessoas “faziam o que parecia direito aos seus próprios olhos”, incluía a todas as pessoas até mesmo os que foram usados por Deus como o famoso Sansão quebrando todos os preceitos de um nazireu – (Jz 14:3,8 e 16: 1,4) e também um juiz chamado Jefté que fez um voto precipitado – (Jz 11:31,39) e além de muitas inversões de valores o mais chocante é a coisificação da mulher mostrada na história da concubina do levita de Efraim – (Jz 19: 24-29).

Nesse livro vemos que, apesar desse povo conhecer quem era Deus e ás vezes o servir (Jz 2:5), até nisso chegaram a fazer o que parecia verdadeiro aos seus próprios olhos e se corromperam (Jz 17), sem base na Lei de Moisés consagravam templos e sacerdotes e prestavam um culto totalmente contrário ao que Deus determinava.

Comparando o tempo de juízes com o momento atual praticamente não se vêem diferenças, muitos da mesma forma querem servir a Deus de acordo com seus interesses e segundo as suas cobiças como se Deus tivesse que se adequar a nós e não nós nos adequássemos à vontade Dele, com isso, todo mundo se considera agraciados, todos irão para o céu (e se você disser que ela precisa mudar de vida corre o risco de ser processado por danos morais); também existem igrejas para todos os gostos, para homossexuais, com ringues de luta livre, com púlpitos em forma de prancha de surf e por incrível que pareça até púlpito em forma de caixão!, muitos acham que fazer qualquer coisa contanto que seja no nome de Jesus estará agradando a Deus.

Certa vez, fui convidado pra tocar em um casamento e aproveitei para vir de carona com o van que havia sido alugado para o pessoal que moravam perto de mim, acabado a festa todos voltamos e grandes partes das pessoas na van estavam embriagadas inclusive uma mulher que estava sentada ao meu lado o qual olhou pra mim e disse – sabe a coisa mais preciosa que um ser humano pode ter?  A presença de Deus, a vida de uma pessoa só tem valor se ela estiver com Deus! – e ela disse isso quase vomitando tudo o que havia ingerido.

Na outra ocasião eu estava vindo do meu trabalho quando veio a mim um rapaz que me pediu dinheiro para comprar algo que não lembro, e me disse que precisava de certa quantia ao passo que o ajudei com alguns trocados, e quando ele percebeu que eu tinha mais para dar, começou a puxar conversa comigo querendo se “enturmar” e no momento que notou que sou cristão, querendo ele me agradar para conseguir mais alguma coisa, começou a falar de Jesus pra mim de uma forma surpreendente e com uma ousadia tal que, quem ouvisse pensaria que ele professava a mesma fé que a minha, dois dias depois eu o vi com traficantes vendendo drogas. Muitas pessoas sabem que só Jesus salva, mas não levam em conta a sua bondade nem sua severidade.

Na igreja também há muitos que querem buscar a Deus a seu bel-prazer, e a cada dia com a "mundanização" de muitas igrejas instituições, está proliferando o número de cristãos “mornos”, com um pé na igreja e o resto do corpo no mundo e nem atentam a palavra do Senhor a respeito desse tipo de cristão que é digno de ser vomitado (Apoc 3:16) e se consideram amigos de Deus quando biblicamente são o contrário (Tg 4:4), são pessoas que por falta de ensinamento fazem tudo sem compromisso, pessoas insubmissas aos seus líderes que mais parecem “bodes” do que “ovelhas”.

Vivemos numa época em que tanto do lado de dentro quanto de fora estão fazendo o certo segundo as suas próprias convicções e não segundo os padrões Daquele a que pensam servir. Longe de eu lançar sentenças contra o meu próximo (1ª Cor 4:5), pois o nosso dever é se compadecer, orar e exortar para que haja mudanças, mesmo sabendo que é necessário que muitas dessas coisas aconteçam para que se manifestem os verdadeiros filhos de Deus. As poucas diferenças que temos em relação com o tempo de Juízes são que hoje ao contrário daquela época temos um Rei, a saber, Jesus Cristo; também não necessitamos do nascimento de outro “Samuel”, pois temos a Palavra de Deus com Sua vontade totalmente revelada e os juízos divinos não serão jogados sobre o seu próprio povo, mas sim, contra todo o mundo ímpio e isso também diz respeito aos ímpios dentro da igreja.

“Todavia, o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e: Qualquer que profere o nome do Senhor aparte-se da injustiça.” 2ºTimóteo 2:19.   
                                                                  Ezequiel Domingues dos Santos

Um comentário: